Uma só coisa te falta… (Mc 10,17-27)

Uma bela página do Evangelho! Um jovem vem correndo na direção de Jesus, para alcançá-lo antes que saia em viagem com seus discípulos. Ainda ofegante, lança-se por terra, aos pés do Mestre. No breve diálogo, vem à tona o fato de que o jovem é puro, obediente a Deus, cumpridor dos mandamentos – todos eles! Diante de sua declaração, mesclada de juventude e de ousadia, Jesus olha bem nos seus olhos e sente amor por ele. Avalia que poderia ser um de seus seguidores.

É importante notar que, mesmo cumprindo toda a Lei, o jovem ainda experimenta um certo vazio interior. E o olhar do Senhor, que perscruta os corações, vai até a raiz da alma de seu interlocutor: “Uma coisa te falta…”

É hora de nos perguntarmos: será que não basta amar a Deus, fugir do roubo e do crime, recusar as fraudes, honrar pai e mãe? Não basta ser honesto? De fato, não bastava… Jesus percebeu que o jovem tinha o coração apegado a seus bens, que se tornavam um verdadeiro entrave para o progresso na vida espiritual. Por isso, a exigência: “Vai e vende… Depois, vem e segue-me…”

Jesus é um bom psicólogo. Conhece a fundo o coração humano e suas dobras mais íntimas. Ele sabe que nossa alma pode ficar acorrentada a coisas e pessoas, pode viver acabrunhada por todo tipo de dependência humana, material, sentimental e moral. Jesus sabe também que só uma pessoa livre pode amar. Afinal, como entregar um coração que já não nos pertence?

Certamente, isto nos ajuda a entender os gestos de santos como Francisco de Assis (que abre mão da herança paterna) ou de Inácio de Loyola (que deixa as glórias e prazeres da vida cortês) ou de Charles de Foucauld (que mergulha no silêncio deserto) – para serem inteiramente de Deus.

Claro que nem todo mundo é chamado a uma ruptura total com a sociedade e seus condicionamentos, mas o discípulo de Jesus não saberá segui-lo enquanto seu coração estiver amarrado ao peso do ouro, ofuscado pelas luzes do mundo, anestesiado pelos prazeres da vida.

Aqui e ali, alguém descobre que o amor de Deus é um absoluto pelo qual vale a pena deixar tudo. Estes não ficarão tristes como o jovem deste Evangelho…

E você? É livre para seguir a Jesus?

Orai sem cessar: “Descansa no Senhor, espera nele!” (Sl 37,7)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.