Um tesouro escondido… (Mt 13,44-46)

Se eu pergunto a uma criança do catecismo como seria esse tal tesouro encontrado acidentalmente no campo, por certo ouviria alguma destas respostas: um baú cheio de moedas de ouro… um diamante de todo tamanho… os malotes enterrados pelos assaltantes do banco… o caixote enterrado pelos piratas em fuga…

Pois bem, nós somos exatamente essas crianças. Também nós nos tornamos incapazes de ir além da tosca imagem material e penetrar no sentido espiritual da parábola. Petrificados por uma sociedade de produção e consumo, imaginamos “tesouros” bem palpáveis, bem concretos, bem contabilizáveis. Que pena!

Deixo a palavra com Máximo, o Confessor [+662 d.C.]:

“Se Cristo permanece em nossos corações pela fé, segundo o apóstolo divino (cf. Ef 3,17), e se todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão nele escondidos (cf. Cl 2,3), então todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos em nosso coração. Mas eles se revelam na medida da purificação de cada um, essa purificação suscitada pelos mandamentos.

Tal é o tesouro escondido no campo de teu coração e que ainda não encontraste por causa de tua preguiça. Se tu o tiveste encontrado, terias vendido tudo e adquirido esse campo. Agora, porém, deixaste o campo e procuras em volta dele, lá onde não é possível encontrar nada mais que espinhos e touceiras de capim.

É por isso que o Salvador diz: ‘Bem-aventurados os corações puros, porque eles verão a Deus’. (Mt 5,8) Eles o verão, e verão os tesouros que estão nele quando, pelo amor e pela temperança, forem bem purificados.

É por isso que ele diz ainda: ‘Vendei o que possuís, dai-o em esmola e eis que para vós tudo será puro’. (Lc 11,41) Estes deixam de se ocupar com as coisas do corpo, mas se aplicam a purificar do ódio e da desordem aquilo que o Senhor chama ‘o coração’. Pois são estas coisas que, sujando a inteligência, não permitem ver o Cristo que mora nela pela graça do santo batismo.”

Então, era isto? O campo está dentro de nós mesmos… O campo somos nós… É ali que Deus já depositou todos os tesouros de sua graça. É dentro de mim que devo garimpar as riquezas insondáveis do amor que se fez carne? Estou disposto a escavar?

Orai sem cessar: “Onde está o teu tesouro, aí o teu coração…” (Mt 6,21)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.