Conta a nossa história que o Pe. Chevalier, estando inseguro sobre a fundação de uma comunidade religiosa, fez a novena da Imaculada e pediu um sinal se essa era mesmo a vontade de Deus. No final da novena, recebeu uma doação econômica de uma mulher para uma de suas obras. A partir daí ele começou a pensar em um título que honrasse Nossa Senhora de um modo especial.

Neste sentido é que Maria ocupa um lugar todo especial na fundação de nossa Congregação.  Em 1855, Pe. Chevalier vai escrever “que em gratidão à Maria, os MSC a verão como sua fundadora e a associarão a todas as suas obras, fazendo-a ser amada de uma maneira especial”.

Nós, MSC, “cremos que Maria está intimamente unida ao mistério do Coração de seu Filho.  Ela está repleta de seu amor e nos conduz a Ele, apontando o Seu coração”. Por isso, celebramos jubilosamente esta data, na qual a Igreja professa sua fé na Imaculada Conceição de Maria e, desde 1854, acolhe o nascimento de nossa congregação.

(adaptado)

Pe. Manoel Ferreira dos Santos Junior, MSC
Superior Provincial