22/02/2019 – Simão Pedro respondeu… (Mt 16,13-19)

Quase sempre, nós lemos este Evangelho com o foco fixado no conteúdo da resposta de Pedro: “Tu és o Cristo…” Com isso, naturalmente, deixamos de lado outro aspecto de grande importância: o fato de que Pedro… respondeu!

Sim, Simão Pedro é o apóstolo que responde. Jesus Cristo tem a pergunta, Pedro tem a resposta, inspirada diretamente pelo Pai (cf. Mt 16,17). Concretamente, Pedro é a Igreja que entra em diálogo com Cristo e, Àquele que se apresenta como EU-SOU, retruca prontamente e sem vacilar: TU ÉS.

Eis o comentário do beneditino François Trévedy: “Ao tomar do Espírito a iniciativa de ser o primeiro a responder, Pedro assume – na medida em que ele a recebe – a responsabilidade da Igreja. Pedro toma a Igreja por esposa: o ato de nascimento é também um contrato de casamento. Pedro toma a Igreja como esposa para conduzi-la a seu Senhor. Não há cristologia fora da boca de Pedro. Só existe cristologia exata e pertinente na boca da Igreja; mais ainda, na medida em que a Igreja é inteiramente uma resposta, não existe cristologia senão a própria Igreja”.

“Tu és Pedro.” “Jesus e Pedro – EU-SOU e seu Povo – só se sustentam mutuamente na existência pela mútua conversação que trocam entre si. Pedro só tem estatura e estatuto na medida em que ele confessa. A Igreja só tem existência enquanto ‘conversante’ e ‘confessante’: a Igreja só existe e se mantém de pé enquanto Confissão de fé, em palavras e em atos. A Igreja está em Pedro, começa em Pedro como aquela que confessa, igualmente como ela está em Maria e começa em Maria como aquela que consente.”

A celebração eucarística tem sido geralmente apresentada como um diálogo entre a Assembleia e seu Presidente, mas nem sempre se recorda que o sacerdote que ali preside o faz “in persona Christi”, o que transfere o diálogo para outro patamar: não é com o padre que dialogamos, mas com Cristo.

Na Eucaristia, a Igreja dialoga com a Trindade: invocamos o Espírito Santo e ele muda a substância do pão e do vinho no Corpo e Sangue de Cristo. Invocamos o Cordeiro, que tira o pecado do mundo e nos dá a paz. Invocamos o Pai, fonte do pão, que só é “nosso” porque ele no-lo dá na Pessoa do Filho.

A Igreja é esta Pedra de carne que se reúne em torno da pedra do altar e ali se une a Cristo, o Rochedo que nos salva. A resposta de Pedro orienta na história todas as nossas respostas.

 

Orai sem cessar: “Ele me invocará e lhe darei resposta!” (Sl 91,15)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.