“Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos”

Caro internauta.

Para os cristãos, a Semana Santa é um tempo muito especial. Nela se celebram os principais acontecimentos da vida de Jesus. Esta semana se inicia com o Domingos de Ramos, onde se recorda sua entrada messiânica em Jerusalém culminando com Tríduo Pascal: Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, razão de nossa fé!

TRÍDUO PASCAL (Quinta, Sexta e Sábado)

O Tríduo Pascal da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor começa com a Missa vespertina da Ceia do Senhor, na quinta feira santa e possui o seu centro na Vigília Pascal e encerra-se com as Vésperas do Domingo da Ressurreição.

O Tríduo Pascal é composto pelos três dias que concentram a paixão, a morte e a ressurreição do Senhor. Rigorosamente, esses dias são: Sexta-feira da Paixão, Sábado Santo e o Domingo da Ressurreição, já que, segundo a tradição litúrgica, as vésperas da Quinta-Feira Santa fazem parte da Sexta-feira Santa, e a Vigília Pascal, do Domingo da Ressurreição.

A antiga Páscoa contava com a morte de milhares de cordeiros no Templo de Jerusalém no curto espaço de três horas, do meio dia às três da tarde. Neste período, foi também sacrificado no Calvário o Cordeiro de Deus que tira, de uma vez por todas, o pecado do mundo.

A lógica do Tríduo perpassa uma grande noite que vai da última Ceia até a aurora da ressurreição, perfazendo um caminho que inicia na Ceia, passa pela agonia do Horto, pela prisão e torturas infringidas ao Inocente, chegando ao ápice com a consumação do seu sacrifício na Cruz e declinando na quietude da longa espera até a madrugada da ressurreição, no domingo, quando surge o grande dia que elimina a noite e instaura a vida que vence a morte.

QUINTA-FEIRA SANTA

Na celebração, neste dia, recorda-se a Ceia do Senhor. Quando ele prediz sua Paixão e Morte e despede-se dos Apóstolos. Neste dia Jesus instituiu a Eucaristia e o Sacerdócio. Na celebração o sacerdote lava os pés de doze pessoas convidadas, na tradicional cerimônia chamada de “Lava-pés”, recordando o gesto de Jesus em lavar os pés dos seus apóstolos e a dizer: “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”, significando que devemos servir uns aos outros com humildade, gratuidade e amor. Ao final da missa se faz a Transladação do Santíssimo Sacramento e, em seguida, a adoração.

SEXTA-FEIRA SANTA da Paixão do Senhor

Sexta-feira Santa é dia de silêncio, jejum e oração. Às três horas da tarde, celebra-se o rito da Paixão de Jesus, iniciando-se com a solene e profunda prostração, simbolizando que a Igreja se sente desolada, viúva e sem pastor, porque ele foi arrancado do mundo dos viventes.

Neste dia a Igreja recomenda jejum e abstinência total de carne e acompanha em silêncio os passos de Jesus em seu sofrimento e condenação até a sua entrega total com a morte na cruz. A celebração central deste dia é a das 15 horas, em que, segundo a tradição, momento em que Jesus morreu.

Senhor Jesus, hoje recordamos de teu imenso amor, capaz de dar a vida por todos nós, chegando ao extremo da cruz. Contemplando a tua cruz, te agradecemos pela libertação que ela trouxe a todos nós. Nela, céu e terra se unem. Do teu Coração aberto pela lança do soldado, brota vida nova, a verdadeira paz.

Ajuda-nos em nossas cruzes, em nossas dificuldades, em nossos sofrimentos. Volta teu olhar de amor para todos os que sofrem neste dia. Que o silêncio envolvente que brota de tua cruz, traga a tua luz ao meu coração e a todos que fazem parte de minha vida. Obrigado por tão grande gesto de amor para conosco. Amém

SÁBADO SANTO – Vigília Pascal

Deus quer a vida e não a morte. A Ressurreição de Jesus é o milagre do começo da vida, vida nova a partir da morte.

O Círio Pascal (uma grande vela que acessa nesta noite) aceso com o fogo novo, luz que surge nas trevas, representa Cristo ressuscitado vitorioso sobre a morte e Senhor da história. Com sua luz ilumina o mundo. No Círio estão gravadas as letras gregas Alfa e Ômega, que querem dizer: “Deus é o princípio e o fim de tudo”.

DOMINGO DA RESSURREIÇÃO – PÁSCOA DO SENHOR

Páscoa significa passagem. A Páscoa de Cristo é sua passagem da morte na cruz para a ressurreição. É sua vitória plena e definitiva sobre a morte e todos os males. Desse modo a ressurreição de Jesus mudou totalmente a história da humanidade e de cada ser humano. A Páscoa é o mistério unificador de toda a fé cristã, sendo, assim, a festa principal da Igreja.

Ó Cristo Ressuscitado, da morte vencedor, por tua vida e teu amor, mostraste a nós a face do Senhor.
Por tua Páscoa o céu à terra uniste e o encontro com DEUS a todos nós permitiste.
Por ti, Ressuscitado, os filhos da luz nascem para a vida eterna e abrem-se para os que crêem as portas do reino dos céus.
De Ti recebemos a vida que possuis em plenitude, pois nossa morte foi redimida pela Tua ressurreição nossa vida ressurge e se ilumina.
Volta a nós, ó nossa Páscoa, Teu semblante redivivo e permita que, sob teu constante olhar, sejamos renovados por atitudes de ressurreição e alcancemos graça, paz, saúde e felicidade para Contigo nos revestir de amor e imortalidade.
A Ti, inefável doçura e nossa eterna vida, o poder e a glória por todos os séculos. Amém

A CONGREGAÇÃO DOS MSC DESEJA A QUE A LUZ QUE IRRADIA DO CRISTO RESSUSCITADO TRAGA PAZ E ESPERANÇA A VOCÊ E SUA FAMÍLIA.

FELIZ PÁSCOA!!!

Servi ao Senhor com alegria!

Pe. Manoel Ferreira dos Santos Junior, MSC
Superior Provincial