Se uma casa se divide… (Mc 3,22-30)

Como se recusavam a reconhecer nos milagres de Jesus um sinal da ação divina, os escribas o acusam de usar a força de Satã para expulsar os demônios. Jesus retruca: “se Satã expulsa seus próprios demônios, seu reino está dividido e acabará em ruínas”.

A observação do Mestre nos leva a refletir sobre a importância da unidade e os efeitos mortais da quebra da unidade, sejam os cismas na Igreja, as rupturas familiares e – talvez a causa de tudo – a perda da unidade pessoal.

O grande líder espiritual dos E.U.A., Dom Fulton Sheen, assim escrevia em seu livro clássico “Angústia e Paz”:

“O homem moderno não é mais uma unidade, mas um molho confuso de complexos e de nervos. Acha-se tão desassociado, tão alienado de si mesmo, que se vê menos como uma personalidade, do que como um campo de batalha, onde uma guerra civil se trava raivosa entre mil e uma antagônicas lealdades. Não há um propósito único, a todos os respeitos, em sua vida.”

Nada mais verdadeiro. De um lado, a consciência do que é bom, o apelo da virtude, os protestos do bem comum; de outro, a sedução do poder, a busca das facilidades, a sedução das paixões. Arrastado de lá para cá, o homem se vê partido e arruinado.

Prossegue Fulton Sheen: “Sua alma pode ser comparada a uma jaula, na qual numerosas feras, cada qual buscando sua própria presa, rolam uma sobre as outras. Pode ser ainda comparado a um rádio ligado para várias estações. Em vez de ouvir alguma delas claramente, recebe apenas uma estática intolerável”.

É hora de refletir: em qual emissora estou sintonizado? Na rede do mundo, com seus propósitos de poder e sucesso, de avareza e acumulação, de luxo e luxúria? Ou na emissora do Evangelho, que convida à vida simples e sóbria, à fraternidade e à partilha?

Se dou ouvidos às duas fontes e acolho todas as mensagens, acabarei partido, neurótico, arruinado. Pior: espalharei a ruína e a divisão à minha volta…

Orai sem cessar: “Oh! Como é bom e agradável

irmãos unidos viverem juntos!” (Sl 133,1)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.