Santuário das Almas
  • Rua Guaporé, 429 – Armênia – cep 01109-030 – São Paulo – SP
  • Telefone: (11) 3228-9988 – E-mail: contato@santuariodasalmas.com.br

Como fazer da Bíblia um livro de oração diária inseparável da nossa vida?

Publicado em 1 de setembro de 2014 \\ Notícias >

A lectio divina é um método de oração com pelo menos 2.500 anos de história. Ele é formado de 4(quatro) degraus: leitura, meditação, oração e contemplação. O que é a lectio divina? Significa leitura orante da Bíblia. É o exercício pessoal e ordenado da escuta da Palavra de Deus. É deixar-se envolver pelo plano amoroso e libertador de Deus. Consiste na leitura da Palavra de forma pausada, gratuita, saboreada, sem pressa, com a única finalidade de escutar a Deus. Em Hebreus 4,12-13 temos o efeito da Palavra de Deus em nós: “A Palavra de Deus é viva e eficaz e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes. Penetra até dividir a alma e o espírito”. Sem este alimento constante da fé e do desejo de Deus, a nossa vida se torna vazia de conteúdo.

1. Leitura − Leia o texto uma, duas e até três vezes. Devemos ler e reler o texto sagrado para perceber os elementos importantes. A tarefa é muito fácil: prestar atenção nos verbos, nos sujeitos, nos sentimentos, nas qualidades da ação, nos fatos consequentes. Siga as leituras que a Igreja nos oferece para cada dia, mesmo que seja um texto difícil. Caso contrário, cairemos no subjetivismo, escolhendo textos que preferimos. Escreva, copie, cole e imprima no seu coração. A Bíblia de Jerusalém é de grande importância pelos seus textos paralelos.

2. Meditação − O que significa? Repetir cada palavra e cada versículo. Para os primeiros monges meditar era repetir os textos bíblicos aprendidos de cor. Para os monges a Palavra de Deus devia estar na boca, em todo lugar e em todo tempo. Admire profundamente aquele que está falando em seu coração. É o momento de reconhecer as maravilhas que Deus fez por mim. Meditação é ruminação, é mastigar, é saborear o texto.

3. Oração − Toda boa meditação desemboca naturalmente na oração. É o momento de responder a Deus após tê-lo escutado. Esta oração é um momento muito pessoal que diz respeito apenas à pessoa e Deus. É um diálogo pessoal! Não se preocupe em preparar palavras, mas fale daquilo que está no seu coração depois da meditação: se for louvor, louve; se for pedido de perdão, peça perdão; se for necessidade de maior clareza, peça a luz divina; se for cansaço e aridez, peça os dons da fé e da esperança. Enfim, os momentos anteriores, se feitos com atenção e vontade, determinarão a oração da qual nasce o compromisso de estar com Deus e fazer a sua vontade.

4. Contemplação − Desta etapa a pessoa não é dona. É um momento que pertence a Deus e Sua presença misteriosa sim, mas sempre presença. É um momento no qual se permanece em silêncio diante de Deus. Se ele conduzir à contemplação, louvado seja Deus! Se ele lhe der apenas a tranquilidade de uns momentos de paz e silêncio, louvado seja Deus! Se, para você, for um momento de esforço ficar na presença de Deus, louvado seja Deus! Um conselho prático: se aprende a nadar, nadando; a dirigir, dirigindo; a rezar, rezando. Não desista!

Por fim, leve a Palavra de Deus e o fruto desta oração para a sua vida. Produza os frutos da Palavra de Deus semeados no seu coração, frutos como: paz, sorriso, decisão, caridade, bondade… Não se preocupe se alguma coisa não for bem, um dos frutos da Palavra de Deus é a noção do erro e a conversão pela sua misericórdia.

Até a próxima edição!!!

Pe. Valmir Teixeira, mSC
Pároco e Reitor do Santuário das Almas

imagem

 

Preencha cuidadosamente o formulário, pois todos os campos são de preenchimento necessário.

Formulário de Cadastro para Campanhas


ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES

Publicado em 25 de agosto de 2014 \\ Notícias

DSCN0553Autor desconhecido

“Divino Jesus, que nos ensinastes a rogar ao Senhor da seara que mande operários para a sua vinha, dignai-vos suscitar nas famílias cristãs muitas vocações sacerdotais e religiosas, ilustrai a fé dos cristãos, a fim de que compreendam a grandeza sublime do santo ministério e fortalecei a vontade dos escolhidos para que sejam animosos em seguir o vosso chamamento.

Virgem Santíssima, intercedei pelo clero secular e regular e interponde o vosso valioso patrocínio em favor das vocações.

− Para celebrar sem fim o divino sacrifício.

R. Dai-nos sacerdotes, Senhor!

− Para vos conduzir às crianças. R

− Para abrir o santo Evangelho às almas. R

− Para dar ao pecador contrito o vosso perdão. R

− Para partir o pão da vossa Palavra às almas famintas. R

− Para acudir aos moribundos na derradeira hora. R

− Para benzer os lares, as oficinas e os campos. R

− Para expandir o vosso Reino no coração dos homens. R

− Para consolar os tristes e aflitos. R

− Para confundir o erro e a hipocrisia. R

− Para animar os desalentados. R

Oração à Sagrada Família

Publicado em 10 de agosto de 2014 \\ Notícias

Oração à Sagrada Família, pela 3ª Assembléia Extraordinária do Sínodo dos Bispos, a ser realizada de 05 a 19/10/2014, no Vaticano, cujo tema é “Os Desafios Pastorais sobre a Família no Contexto da Evangelização”.

image002 (2)

Grande retiro – MSC

Publicado em 29 de julho de 2014 \\ Notícias

Tivemos no dia 28 de julho de 2014, o término do Grande Retiro que foi realizado no sítio dos mSC em Guararema SP.

O pregador deste retiro foi o Pe. Valmir Teixeira mSC, que durante 30 dias conviveu com os noviços do Instituto Pe. Nicolau de Itajubá, passando toda sua vivência e experiência aos jovens seminaristas.

Foi o evento coroado hoje com uma missa celebrada pelo Pe. Manoel mSC, contando ainda com as presenças do próprio Pe. Valmir, e do Mestre dos Noviços Pe. Cortez. Que Deus ilumine o caminho desses seminaristas: Guido (Itália); Robson (Florianópolis); e Guillen (Colombia); para suas reais vocações.

A comunidade mSC agradece ainda, a inestimável colaboração da Irmã Maria Ivone Weissheimer, da Filhas do Sagrado Coração, durante o retiro.

 “Mais fotos, acessar o Facebook do Santuário das Almas”.

Posse do Superior Provincial

Publicado em 23 de junho de 2014 \\ Notícias

Posse do Superior e do Conselho Provincial dos MSC

No dia 20 de junho de 2014 às 10h00, no Santuário das Almas, na Ponte Pequena, foi celebrada uma missa, na qual tomou posse o Pe. Manoel Ferreira dos Santos Junior como Superior Provincial por um período de mais três anos.

Tomou posse também o Conselho da Província os religiosos: Pe. Edvaldo Rosa de Mendonça mSC, Pe. Alex Sandro Sudré mSC, Pe. Luiz Carlos Araújo Moraes mSC e Pe.Júlio César Machado mSC.

Rezemos para que Deus, na sua infinita bondade, ilumine esses religiosos para a difícil missão de perpetuar o ideal do fundador da Congregação, Pe. Julio Chevalier:

Amado seja por toda parte o Sagrado Coração de Jesus.

Eternamente.

Vídeo-Procissão e Missa da Festa SCJ

Publicado em 18 de junho de 2014 \\ Notícias > Vídeos

Vídeo da Procissão e Missa da Festa do Sagrado Coração de Jesus”

 

Apresentação feita pela Comunidade do Santuário das Almas da Ponte Pequena/SP, durante a festa do Sagrado Coração de Jesus em 2014

Missa de posse

Publicado em 17 de junho de 2014 \\ Notícias

A Congregação dos Missionários do Sagrado Coração, Província de São Paulo, convida a todos para a Celebração Eucarística na qual será empossado o Superior Provincial, bem como o Conselho da Província.

A celebração será no Santuário das Almas, no dia 20 de junho de 2014 às 10h.

Pedimos a gentileza que confirme a sua presença para melhor acolhermos.

Fone.: (11) 3228-9988
Rua:  Guaporé,429 – São Paulo.

Evangelizando com o coração Campanha dos benfeitores

Publicado em 3 de junho de 2014 \\ Notícias >

Estimado_(a) devoto_(a), 

Ainda com a alegria decorrente da ressurreição que nos incentiva a seguir adiante, saúdo a você que faz parte da Campanha dos Benfeitores do Santuário das Almas. Já vivendo a movimentação para a Festa do Sagrado Coração de Jesus, sinto-me animado a ressaltar o tema proposto para a nossa festa deste ano a importância de redescobrirmos, no Divino Coração, as riquezas abundantes que saciam todas as nossas sedes.

Ao tratar desse tema não posso deixar de citar o Pe. Julio Chevalier, Fundador da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus: “Jesus é Aquele que oferece a perfeita adoração ao Pai. Entregou sua vida pelos seus amigos, pela humanidade que amava”. Descobrimos o amor de Deus e a fonte dessa espiritualidade à medida que somos capazes

de contemplar o Coração aberto de Jesus. N’Ele está a riqueza insondável do amor de Deus por você e por mim. “Em toda espiritualidade deve existir uma força contemplativa e ela não deve faltar em nossa espiritualidade.” Sabemos que a espiritualidade nos prepara para um encontro com Deus. Contudo, não basta dizer “eu creio em Deus”. Crer em Deus não é pensar em Deus, mas é sentir Deus agindo na minha vida. A partir dessa experiência, tudo se transfigura;

tudo vem carregado de veneração e de sacralidade. A espiritualidade possibilita esse encontro pessoal com Deus em todas as fases da vida. Através da espiritualidade o ser humano pode mergulhar na realidade divina e fazer a sua experiência profunda de Deus, fonte de vida.

Que neste mês de junho experimentemos beber da espiritualidade do Coração de Jesus. Que o nosso olhar seja de contemplação, e que à luz da fé sintamos brotar a esperança, o amor e a paz que tanto desejamos para nossas famílias, nossas comunidades e para o mundo.

Até a próxima edição!!!

Pe. Valmir Teixeira, mSC
Pároco e Reitor do Santuário das Almas

Preencha cuidadosamente o formulário, pois todos os campos são de preenchimento necessário.

Formulário de Cadastro para Campanhas


Transformar nossas dores….

Publicado em 2 de junho de 2014 \\ Notícias

Transformar nossas dores em instrumento de libertação

Estamos de volta e queremos continuar aprendendo as lições que brotam do Coração de Jesus. Em nosso primeiro e modesto artigo, falamos que nosso desejo, através dessa revista, é levá-los a ter um encontro cordial com o Nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, voltamos com mais alguns pensamentos que poderão ajudar-nos em nossa oração e experiência de vida. O que queremos é, com você, contemplar esse Divino Coração e seus segredos de amor e de esperança. Convido-os, agora, a refletir sobre uma lição extraordinária que Jesus nos deu quando se fez Carne e habitou entre nós e, principalmente, no silêncio da Cruz, quando a carne ferida se fez também Palavra de Salvação: “transformando os obstáculos em meios”. Voltemos nossos olhos da fé para Aquele que foi traspassado.

Quantas vezes não nos deparamos com verdadeiros obstáculos, sofrimentos e feridas que nos marcam profundamente. Quantas vezes carregamos por toda nossa vida uma dificuldade, uma dor, um obstáculo terrível que só nos faz padecer, viver com amargura e perder nosso foco existencial que é caminhar, atraídos pela fé no Ressuscitado, em busca do Amor infinito. Em certos momentos sentimos a dor de não ser amado, de ser rejeitado, de ter sido abandonado ou maltratado pelos mais próximos. Em outros, uma desilusão amorosa ou os conflitos dentro do nosso próprio lar. Quantos não padecem uma vida toda porque a doença o feriu gravemente ou deixou sequelas profundas? Muitos de nós padecemos, principalmente nos dias de hoje, do mal de se sentir solitário, depressivos, abandonados e sem ninguém ao nosso redor? Enfim, todos nós carregamos certas feridas, sejam afetivas, psicológicas, físicas etc.

Mas por que deixamos que a ferida seja a tônica de nossa vida, ou melhor, de nossa morte homeopática? Porque permitimos que a morte continue devorando nossa esperança, se ela foi derrotada por Cristo na Cruz? Não, não podemos permitir que a morte e o pecado do desânimo e do conformismo sejam as bandeiras de nossa existência. O fundador dos Missionários do Sagrado Coração, Pe. Chevalier, lapidou um pensamento que nos ajuda a entender uma lição extraordinária que brota da pedagogia do Coração ferido de nosso Redentor na Cruz: “quando Deus quer uma obra, os obstáculos se transformam em meios”. Isso mesmo! Essa é a lição do Coração traspassado de Jesus: transformar a morte em vida, a dor em esperança de amor, a ferida em fonte.

Humanamente, Jesus poderia ter se tornado vítima passiva do sofrimento lhe imposto. Suas dores poderiam não ter servido para aliviar as nossas. Seus sofrimentos teriam se reduzido apenas a ressentimentos sem sentido; revolta e autopiedade que O tornaria o ser mais digno de pena e nossa fé num absurdo. Mas de modo nenhum! O segredo de sua vitória está justamente naquilo que parecia um obstáculo sem fim. Aquilo que poderia ser apenas uma ferida escancarada num coração moribundo se transformou numa fonte inesgotável de vida e de salvação. De seu coração ferido jorrou água e sangue (Jo 19,31-37). Dessa ferida brotou o manancial do Batismo e da Eucaristia. Eis a dor transformada em amor. Amor que nos regenera e que recria o universo todo. Amor que alimenta e que, na eucaristia, nos revigora. Corpo triturado e sangue derramado. Na moenda da dor seu corpo foi transformado em alimento, em pão vivo. Eis o mistério de nossa fé!

Outro dia, ouvi uma história que, apesar de não ter nenhuma formação para biologia para checar sua autenticidade, achei extraordinária e que, talvez, sirva para ilustrar nossa reflexão. Fiquei sabendo que a pequena ostra, isso mesmo, esse pequeno animal marinho, só produz a pérola quando, ainda nova, foi ferida. Lá onde talvez um grão de areia a feriu, a proteção e a resistência de seu organismo produzirá uma das mais cobiçadas joias: a pérola. Somente as ostras feridas produzem pérolas. Transformar os obstáculos em meio. Que lição, heim?!

Deixemos o mundo marinho e voltemos para nosso cotidiano. Que lições podemos tirar de tudo isso? Creio que contemplando o Coração de Jesus e a nossa vida iremos descobrir, que graças a Ele, também nós podemos transformar nossas feridas em pérolas e em fonte de vida. Lá onde reside nosso maior obstáculo, nossa maior ferida, pode crer que essa sensibilidade tamanha é devido à fonte que quer vencer os desafios e borbulhar num estrondoso manancial de vida.

Prestemos mais atenção em nossa vida e naquilo que pode ser nossos maiores obstáculos, mas sempre com o olhar fito no Coração de Jesus. Pois, muitas vezes, só como Tomé (Jo 20,24-29), é botando o dedo na ferida que vamos acreditar que esses sinais de dor apontam para o transcendente, para a ressurreição e para a certeza de que esses obstáculos são apenas meio e não o fim!

Pe. Benedito Ângelo Cortez,
Missionário do Sagrado Coração

Festa do Sagrado Coração de Jesus

Publicado em 2 de junho de 2014 \\ Notícias

Página 1 de 1812345...10...Última »