Santuário das Almas
  • Rua Guaporé, 429 – Armênia – cep 01109-030 – São Paulo – SP
  • Telefone: (11) 3228-9988 – E-mail: contato@santuariodasalmas.com.br

Posse do Superior Provincial

Publicado em 23 de junho de 2014 \\ Notícias

Posse do Superior e do Conselho Provincial dos MSC

No dia 20 de junho de 2014 às 10h00, no Santuário das Almas, na Ponte Pequena, foi celebrada uma missa, na qual tomou posse o Pe. Manoel Ferreira dos Santos Junior como Superior Provincial por um período de mais três anos.

Tomou posse também o Conselho da Província os religiosos: Pe. Edvaldo Rosa de Mendonça mSC, Pe. Alex Sandro Sudré mSC, Pe. Luiz Carlos Araújo Moraes mSC e Pe.Júlio César Machado mSC.

Rezemos para que Deus, na sua infinita bondade, ilumine esses religiosos para a difícil missão de perpetuar o ideal do fundador da Congregação, Pe. Julio Chevalier:

Amado seja por toda parte o Sagrado Coração de Jesus.

Eternamente.

Vídeo-Procissão e Missa da Festa SCJ

Publicado em 18 de junho de 2014 \\ Notícias > Vídeos

Vídeo da Procissão e Missa da Festa do Sagrado Coração de Jesus”

 

Apresentação feita pela Comunidade do Santuário das Almas da Ponte Pequena/SP, durante a festa do Sagrado Coração de Jesus em 2014

Missa de posse

Publicado em 17 de junho de 2014 \\ Notícias

A Congregação dos Missionários do Sagrado Coração, Província de São Paulo, convida a todos para a Celebração Eucarística na qual será empossado o Superior Provincial, bem como o Conselho da Província.

A celebração será no Santuário das Almas, no dia 20 de junho de 2014 às 10h.

Pedimos a gentileza que confirme a sua presença para melhor acolhermos.

Fone.: (11) 3228-9988
Rua:  Guaporé,429 – São Paulo.

Evangelizando com o coração Campanha dos benfeitores

Publicado em 3 de junho de 2014 \\ Notícias >

Estimado_(a) devoto_(a), 

Ainda com a alegria decorrente da ressurreição que nos incentiva a seguir adiante, saúdo a você que faz parte da Campanha dos Benfeitores do Santuário das Almas. Já vivendo a movimentação para a Festa do Sagrado Coração de Jesus, sinto-me animado a ressaltar o tema proposto para a nossa festa deste ano a importância de redescobrirmos, no Divino Coração, as riquezas abundantes que saciam todas as nossas sedes.

Ao tratar desse tema não posso deixar de citar o Pe. Julio Chevalier, Fundador da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus: “Jesus é Aquele que oferece a perfeita adoração ao Pai. Entregou sua vida pelos seus amigos, pela humanidade que amava”. Descobrimos o amor de Deus e a fonte dessa espiritualidade à medida que somos capazes

de contemplar o Coração aberto de Jesus. N’Ele está a riqueza insondável do amor de Deus por você e por mim. “Em toda espiritualidade deve existir uma força contemplativa e ela não deve faltar em nossa espiritualidade.” Sabemos que a espiritualidade nos prepara para um encontro com Deus. Contudo, não basta dizer “eu creio em Deus”. Crer em Deus não é pensar em Deus, mas é sentir Deus agindo na minha vida. A partir dessa experiência, tudo se transfigura;

tudo vem carregado de veneração e de sacralidade. A espiritualidade possibilita esse encontro pessoal com Deus em todas as fases da vida. Através da espiritualidade o ser humano pode mergulhar na realidade divina e fazer a sua experiência profunda de Deus, fonte de vida.

Que neste mês de junho experimentemos beber da espiritualidade do Coração de Jesus. Que o nosso olhar seja de contemplação, e que à luz da fé sintamos brotar a esperança, o amor e a paz que tanto desejamos para nossas famílias, nossas comunidades e para o mundo.

Até a próxima edição!!!

Pe. Valmir Teixeira, mSC
Pároco e Reitor do Santuário das Almas

Preencha cuidadosamente o formulário, pois todos os campos são de preenchimento necessário.

Formulário de Cadastro para Campanhas


Transformar nossas dores….

Publicado em 2 de junho de 2014 \\ Notícias

Transformar nossas dores em instrumento de libertação

Estamos de volta e queremos continuar aprendendo as lições que brotam do Coração de Jesus. Em nosso primeiro e modesto artigo, falamos que nosso desejo, através dessa revista, é levá-los a ter um encontro cordial com o Nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, voltamos com mais alguns pensamentos que poderão ajudar-nos em nossa oração e experiência de vida. O que queremos é, com você, contemplar esse Divino Coração e seus segredos de amor e de esperança. Convido-os, agora, a refletir sobre uma lição extraordinária que Jesus nos deu quando se fez Carne e habitou entre nós e, principalmente, no silêncio da Cruz, quando a carne ferida se fez também Palavra de Salvação: “transformando os obstáculos em meios”. Voltemos nossos olhos da fé para Aquele que foi traspassado.

Quantas vezes não nos deparamos com verdadeiros obstáculos, sofrimentos e feridas que nos marcam profundamente. Quantas vezes carregamos por toda nossa vida uma dificuldade, uma dor, um obstáculo terrível que só nos faz padecer, viver com amargura e perder nosso foco existencial que é caminhar, atraídos pela fé no Ressuscitado, em busca do Amor infinito. Em certos momentos sentimos a dor de não ser amado, de ser rejeitado, de ter sido abandonado ou maltratado pelos mais próximos. Em outros, uma desilusão amorosa ou os conflitos dentro do nosso próprio lar. Quantos não padecem uma vida toda porque a doença o feriu gravemente ou deixou sequelas profundas? Muitos de nós padecemos, principalmente nos dias de hoje, do mal de se sentir solitário, depressivos, abandonados e sem ninguém ao nosso redor? Enfim, todos nós carregamos certas feridas, sejam afetivas, psicológicas, físicas etc.

Mas por que deixamos que a ferida seja a tônica de nossa vida, ou melhor, de nossa morte homeopática? Porque permitimos que a morte continue devorando nossa esperança, se ela foi derrotada por Cristo na Cruz? Não, não podemos permitir que a morte e o pecado do desânimo e do conformismo sejam as bandeiras de nossa existência. O fundador dos Missionários do Sagrado Coração, Pe. Chevalier, lapidou um pensamento que nos ajuda a entender uma lição extraordinária que brota da pedagogia do Coração ferido de nosso Redentor na Cruz: “quando Deus quer uma obra, os obstáculos se transformam em meios”. Isso mesmo! Essa é a lição do Coração traspassado de Jesus: transformar a morte em vida, a dor em esperança de amor, a ferida em fonte.

Humanamente, Jesus poderia ter se tornado vítima passiva do sofrimento lhe imposto. Suas dores poderiam não ter servido para aliviar as nossas. Seus sofrimentos teriam se reduzido apenas a ressentimentos sem sentido; revolta e autopiedade que O tornaria o ser mais digno de pena e nossa fé num absurdo. Mas de modo nenhum! O segredo de sua vitória está justamente naquilo que parecia um obstáculo sem fim. Aquilo que poderia ser apenas uma ferida escancarada num coração moribundo se transformou numa fonte inesgotável de vida e de salvação. De seu coração ferido jorrou água e sangue (Jo 19,31-37). Dessa ferida brotou o manancial do Batismo e da Eucaristia. Eis a dor transformada em amor. Amor que nos regenera e que recria o universo todo. Amor que alimenta e que, na eucaristia, nos revigora. Corpo triturado e sangue derramado. Na moenda da dor seu corpo foi transformado em alimento, em pão vivo. Eis o mistério de nossa fé!

Outro dia, ouvi uma história que, apesar de não ter nenhuma formação para biologia para checar sua autenticidade, achei extraordinária e que, talvez, sirva para ilustrar nossa reflexão. Fiquei sabendo que a pequena ostra, isso mesmo, esse pequeno animal marinho, só produz a pérola quando, ainda nova, foi ferida. Lá onde talvez um grão de areia a feriu, a proteção e a resistência de seu organismo produzirá uma das mais cobiçadas joias: a pérola. Somente as ostras feridas produzem pérolas. Transformar os obstáculos em meio. Que lição, heim?!

Deixemos o mundo marinho e voltemos para nosso cotidiano. Que lições podemos tirar de tudo isso? Creio que contemplando o Coração de Jesus e a nossa vida iremos descobrir, que graças a Ele, também nós podemos transformar nossas feridas em pérolas e em fonte de vida. Lá onde reside nosso maior obstáculo, nossa maior ferida, pode crer que essa sensibilidade tamanha é devido à fonte que quer vencer os desafios e borbulhar num estrondoso manancial de vida.

Prestemos mais atenção em nossa vida e naquilo que pode ser nossos maiores obstáculos, mas sempre com o olhar fito no Coração de Jesus. Pois, muitas vezes, só como Tomé (Jo 20,24-29), é botando o dedo na ferida que vamos acreditar que esses sinais de dor apontam para o transcendente, para a ressurreição e para a certeza de que esses obstáculos são apenas meio e não o fim!

Pe. Benedito Ângelo Cortez,
Missionário do Sagrado Coração

Festa do Sagrado Coração de Jesus

Publicado em 2 de junho de 2014 \\ Notícias

Encontro vocacionados e formadores

Publicado em 11 de maio de 2014 \\ Notícias

Porto Alegre, 5 de julho de 1980

Caríssimos filhos:

[...]“Graça e paz a vós da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo!” (2Ts 1,2).

2 É para vocês minha primeira mensagem, caríssimos jovens, que guardam no coração como poderoso impulso o segredo do chamamento particular que Cristo lhes dirige. Tenham sempre consciência da predileção que esta iniciativa do Mestre divino significa: toda vocação faz parte de um desígnio divino muito amplo, em que cada um dos chamados tem grande importância. O próprio Cristo, Verbo de Deus, o “Chamado” por excelência, não se arrogou por si a honra de se tornar sumo sacerdote, recebeu-a d’Aquele que lhe disse: “Tu és meu Filho, eu hoje te gerei” (Sl 2,7); e em outra passagem, igualmente diz: “Tu és sacerdote para sempre segundo a ordem de Melquisedec” (Sl 110,4; Hb 5,5).

3 A vocação é, pois, um mistério que o homem acolhe e vive no mais íntimo do seu ser. Dom e graça, ela depende da soberana liberdade do poder divino e, na sua realidade plena, foge à nossa compreensão. Não temos explicações a exigir ao Doador de todos os bens – “por que me fizestes assim?” (cf. Rm 9,20) – pois Aquele que chama é também “Aquele que é” (cf. Ex 3,14).

4 De resto, a vocação de cada um se funde até certo ponto com o seu próprio ser: pode-se dizer que vocação e pessoa tornam-se uma coisa só. Isto significa que na iniciativa criadora de Deus entra um particular ato de amor para com os chamados, não apenas à Salvação, mas ao ministério da Salvação. Por isso, desde a eternidade, desde que começamos a existir nos desígnios do Criador e Ele nos quis criaturas, também nos quis chamados, predispondo em nós os dons e as condições para a resposta pessoal, consciente e oportuna ao apelo de Cristo ou da Igreja. Deus que nos ama, que é Amor, é também “Aquele que chama” (cf. Rm 9,11). [...]

8 Nesta altura, não posso deixar de fazer-lhes a cada um em particular o insistente convite que costumo fazer em idênticas circunstâncias a outros jovens possuídos pelo mesmo ideal: ponham-se à escuta do Senhor, o grande Amigo. Ele quer fitá-los nos olhos e falar-lhes ao coração, na intimidade da oração pessoal (cf. Ap 3,20), da oração comunitária (cf. Mt 18,20) e da Liturgia, pois Ele “está sempre presente na sua Igreja, especialmente nas ações litúrgicas” (Const. Sacrosanctum Concilium, 7). Podem estar certos de que Ele os iluminará e ajudará a descobrir e a amar o sentido e o valor da vocação. E quem sabe se hoje, neste encontro “em seu nome”, Ele não quer dizer a vocês alguns dos seus segredos? Se assim for, “não endureçam seus corações” (cf. Hb 3,8). Somente na disponibilidade à voz de Deus poderão encontrar a alegria de uma total autorrealização. [...]

25 Esta é, Filhos caríssimos, a exortação que me sai do fundo da alma, esta a indicação que desejo confiar a cada um de vós: ponde generosamente à disposição de Cristo a vossa mente, o vosso coração e as vossas energias. Digo-o a vós, superiores e educadores que na dedicação cotidiana ao vosso cargo delicado, sois chamados a ser sinal e instrumento do serviço de Cristo que edifica o seu Corpo. Digo-o a vocês, jovens, que responderam ao chamamento e aceitaram pôr-se a caminho seguindo as pegadas de Cristo para serem amanhã testemunhas do seu amor entre os seus irmãos.

26 Mas o meu pensamento e a minha exortação dirigem-se também às famílias cristãs, que o Concílio Vaticano II indicou como “primeiro seminário” da vocação (cf. Decreto Optatam Totius, 2): compete a vós criar no próprio seio aquele clima de fé, de caridade e de oração, que oriente os filhos para se confrontarem, numa atitude de generosa disponibilidade, com a iniciativa de Deus e com o seu plano sobre o mundo. Ao lado da família tem papel importante a escola, em que os professores, especialmente católicos, devem sentir a obrigação não só de enriquecer a mente dos alunos com os dados da cultura, mas também tornar-lhes o ânimo sensível ao apelo dos valores éticos e à fascinação entusiasmada dos grandes ideais.

27 Uma palavra especial para a Paróquia que a este respeito tem um contributo sempre determinante. Nela, de fato, os jovens vivem a sua experiência cristã, nela ouvem a proclamação da Palavra de Deus e participam da celebração dos sinais da salvação, e nela se encontram ainda com o testemunho das diversas vocações e dos diversos ministérios. É evidente, por isso, a importância que revestem as associações, os grupos e os movimentos eclesiais para não falar da pessoa dos sacerdotes colocados à frente do cuidado pastoral da Comunidade como normal instrumento do chamamento de Deus a um serviço mais generoso para a vinda do Reino. Exorto, portanto, cada um dos elementos da Comunidade cristã a tomar em conta as próprias responsabilidades neste setor essencial da vida da Igreja.

28 Cristo tem necessidade da contribuição de todos para fazer chegar a outros corações a palavra que “nem todos podem compreender” (cf. Mt 19,11), isto é, a palavra do convite à doação sem reservas à causa do Reino.

Ao renovar a cada um o testemunho da minha gratidão, da minha confiança e do meu afeto, confio à Virgem Santíssima Aparecida as vossas intenções e os vossos propósitos. A ela peço, em particular, que tome sob a sua maternal proteção a vocês jovens, neste período decisivo da sua vida e os conduza, com mão segura ao encontro com Cristo: com Aquele que os ama, que os chama, que espera e que será a alegria de vocês, hoje e sempre.

[A PALAVRA DE JOÃO PAULO II NO BRASIL: DISCURSOS E HOMILIAS. Texto integral apresentado pela CNBB. Homilia 30. Ed. Paulinas. 1980. p.182.]

 

Pe. Manoel reeleito Provincial

Publicado em 9 de maio de 2014 \\ Notícias

Pe. Manoel Ferreira dos Santos Junior, mSC

Pe. Manoel nasceu no ano de 1967, em Morro do Alto, município de  Itapetininga, SP. Filho de Manoel e Zilda. Tem dois irmãos, Donizete e Fátima.

Entrou no seminário de Pirassununga em 1981, estudou no seminário de  Itajubá, fez Licenciatura em filosofia na Universidade São Francisco, em São  Paulo, Noviciado em Pirassununga e teologia da Faculdade Nossa Senhora  da Assunção, em São Paulo e em 2012 concluiu na mesma faculdade o  curso de Pós Graduação em teologia Pastoral. Foi ordenado Sacerdote em Sarapuí no dia 07 de janeiro de 1995.

Foi formador do seminário de filosofia e teologia, sócio do noviciado, Pároco das Paróquias de São Benedito e Santuário de nossa Senhora do Sagrado Coração, em Vila Formosa, Santa Rita em Pirassununga e Nossa Senhora da Soledade, em Delfim Moreira. Em 2002 foi eleito para o Conselho Provincial e em 2005 foi eleito e escolhido como Vice Provincial.

Pregador de retiro, inclusive por três vezes pregou o retiro Inaciano, para os noviços MSC.

Foi agente da Pastoral Carcerária no antigo Carandiru. Participou de dois Capítulos Gerais. Em 12/05/2011 foi eleito Superior Provincial da Província de São Paulo. E no dia 08/05/2014, reeleito Superior Provincial.

A chamada Província de São Paulo atende os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Piauí, Maranhão, Ceará e Amazonas, além de ter Missionários no Equador. Rezemos a Deus que o acompanhe e o ilumine nesta nova missão.

Festa do Sagrado Coração de Jesus

Publicado em 8 de maio de 2014 \\ Notícias

31 de Maio a 15 de Junho de 2014 

== PROGRAMAÇÃO RELIGIOSA ==

NOVENA de 06 a 14 de Junho

DIA 15 DE JUNHO – Grande Festa

  • 06h30 – Recepção e Café dos Romeiros
  • 08h00 – Missa
  • 09h00 – Procissão
  • 10h00 – Missa Solene
  • 12h00 – Almoço
  • 13h15 – Coroação da Imagem do S. Coração de Jesus e apresentação com Padre Juarez de Castro.
  • 18h00 – Missa de Encerramento
  • Os Romeiros devem reservar o ingresso para o almoço
  • Os que frequentam sempre o Santuário devem adquirir o ingresso antecipadamente.

== PROGRAMAÇÃO SOCIAL ==

ARRAIAL DO SANTUÁRIO

  • Dia 31 de Maio, a partir das 18h. Venha participar da festa. Serão servidas comidas típicas. Dança da quadrilha e muito mais.

QUERMESSE

Dia 07 de Junho: 1° dia da quermesse

  • início -18h00

Dia 14 de Junho: 2° dia da quermesse

  • início – 18h00 – Bingo Beneficente. Barracas de doces e salgados para todos os gostos.

BOLO DO SAGRADO CORAÇÃO

  • No dia 14 de junho – 18h00 – Bênção das Medalhas e distribuição do bolo do Sagrado Coração. Participe da Bênção e retire o seu pedaço. Reserve com antecedência

Evangelizando com o Coração Estamos no tempo da Páscoa

Publicado em 7 de maio de 2014 \\ Notícias >

Estimado(a) devoto (a),

É com especial alegria que me dirijo a você para compartilhar esta reflexão. Estamos no Tempo da Páscoa, e este Tempo Litúrgico nos convida a vivermos a alegria da vitória de Cristo sobre a morte e, consequentemente, a nossa vitória sobre toda forma de desesperança. Neste mês, nosso olhar se volta também para Maria, Aquela que sempre acreditou e esteve

à disposição de Deus: “Faça-se em mim segundo a tua palavra”(Lc 1,38).

Nos tempos atuais somos incessantemente tragados pelos desejos de bens materiais. Muitas vezes deixamos de lado até mesmo o essencial, ou melhor, aquilo que é básico para a nossa vida e para a nossa fé. Ou buscamos Deus quando as coisas não vão bem, ou quando tudo o que temos e somos já não faz mais sentido na nossa vida. O termômetro disso é fácil de constatar. Se por qualquer motivo você se afasta da Igreja, abandona Deus ou desiste de ajudar nos trabalhos a que Ele lhe chamou, você ainda não tem plena confiança n’Ele. Ou seja, você tem uma fé infantil (não é maduro(a) na fé). Deus é bom, enquanto me serve. Essa é a lógica perversa do mundo descrente. Maria nos ensina o caminho inverso. Durante a sua vida deu tudo o que tinha: a sua própria vida, que é o dom mais precioso. Ela colocou tudo a serviço de Deus. “Ensina teu povo a rezar, Maria, Mãe de Jesus. Que um dia teu povo desperta e na certa vai ver a luz. Que um dia teu povo se anima e caminha com teu Jesus. Ensina a teu povo o teu jeito de ser o que Deus quiser”(Pe. Zezinho). Que Maria Santíssima nos ensine a buscar a alegria e a felicidade em Deus, o princípio e o fim de todas as coisas.

Maria, Mãe de Deus, rogai por nós!!! 

Até a próxima edição!!! 

Pe. Valmir Teixeira, mSC

Preencha cuidadosamente o formulário, pois todos os campos são de preenchimento necessário.

Formulário de Cadastro para Campanhas


Página 1 de 1712345...10...Última »