A Campanha da Fraternidade (CF) é uma ação promovida pela Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB), cuja abertura é feita sempre no início da quaresma.

Nesse sentido, à luz da fé e da ciência, a Igreja do Brasil faz uma alerta sobre os problemas que afetam a sociedade pondo em risco a vida humana e demais organismos vivos. Neste ano, como já houve em campanhas anteriores, a temática da CF está voltada para a relação do homem com o meio ambiente a partir do tema “Fraternidade: biomas brasileiros e a defesa da vida” e do lema “cultivar e guardar a criação”(Gn 2,15).

Nessa perspectiva, faz-se necessária uma abordagem acerca dos biomas brasileiros, a saber, Mata Atlântica, Amazônia, Cerrado, Pantanal, Caatinga e o Pampa com o intuito de evidenciar suas características no que diz respeito às condições edafoclimáticas e a inserção do homem nesses ecossistemas na ótica da ecologia social. Embora seja uma questão que está sempre em voga, percebe-se ainda inúmeros desafios para se chegar ao modelo de desenvolvimento sustentável. Partindo desse pressuposto, amplia-se esse debate a fim de mostrar algumas carências em termos de políticas públicas voltadas para qualidade de vida numa concepção integrada das iniciativas ambientais, sociais e econômicas.

Grosso modo, o relato da criação aponta para essa necessidade, pois Deus confiou ao homem a missão de preservar a criação (cf. Gn 2,15). Ou seja, é de responsabilidade do ser humano o cuidado com a fauna e a flora e, dessa forma, promover o equilíbrio da natureza com o uso adequado dos recursos naturais que ela disponibiliza para sua sobrevivência. Para tanto, existem técnicas de manejo ecológico que reduzem os impactos ambientais ou recuperam áreas degradadas. Por exemplo, a agroecologia como alternativa para o cultivo agrícola mais sustentável. No entanto, as catástrofes naturais impulsionadas pelas mudanças climáticas e outros fatores, denunciam a dívida que o homem foi criando com a natureza ao longo dos anos.

Em linhas gerais, a Campanha da Fraternidade traz ao corpo social apontamentos válidos e oportunos como sinal de alerta para a sociedade, uma vez que parece passar despercebidas as condições de vida presentes nos biomas brasileiros. Portanto, essa iniciativa da Igreja está em consonância com o projeto missionário proposto para os dias atuais, isto é, suscitar transformações em todos os âmbitos da vida segundo o Evangelho.

Rosenildo do Nascimento da Costa, MSC