Por que ele come com os pecadores? (Mc 2,13-17)

É curioso como as “pessoas honestas” se sentem mal quando os pecadores são alvo de atenções e cuidados. Afinal, “eles” não merecem. Assim pensavam os fariseus do tempo de Jesus. São Pedro Crisólogo [ca. 380-450 d.C.]comenta a passagem:

“Deus é acusado de se debruçar sobre o homem, de se aproximar do pecador, de ter fome de sua conversão e sede de sua volta, de tomar o alimento da misericórdia e a taça da bondade. Mas o Cristo, meus irmãos, veio a esta refeição, a Vida veio entre estes convivas para que, condenados à morte, eles vivam com a Vida.

A Ressurreição se deitou para que aqueles que jaziam se ergam de seus túmulos; a Bondade se abaixou para elevar os pecadores até o perdão; Deus veio ao homem para que o homem chegue a Deus; o Juiz veio à refeição dos culpados para arrancar a humanidade da sentença de condenação; o Médico veio a casa dos doentes para os restabelecer, comendo com eles; o bom Pastor inclinou o ombro para carregar a ovelha perdida até o redil da salvação.

“Por que ele come com os publicanos e os pecadores?” Mas quem é pecador, senão aquele que recusa ver-se como tal? Deixar de se reconhecer como pecador não é enfiar-se em seu pecado e, para dizer a verdade, identificar-se com ele? E quem é injusto, senão aquele que se considera justo? Entretanto, fariseu, tu leste a palavra do Salmo: “Nenhum vivente está justificado diante de ti”. (Sl 143,2)

Por todo o tempo que estamos neste corpo mortal, a fragilidade domina em nós; mesmo se triunfamos dos pecados de ação, não podemos vencer os do pensamento nem evitar toda injustiça; e mesmo que tenhamos a força de escapar disso materialmente, e se somos capazes de vencer toda falta consciente, como poderíamos abolir as faltas por negligência e os pecados de ignorância?

Então, fariseu, confessa o teu pecado, e poderás vir para a mesa de Cristo; o Cristo se fará teu Pão, esse Pão que será partido para o perdão de teus pecados; Cristo se tornará a Taça para ti, essa Taça que será derramada para a remissão de tuas faltas.”

Então, Jesus Cristo vem comer com os pecadores? Que bom! Assim não passaremos fome… Assim, nós, pecadores, não beberemos sozinhos a taça da amargura…

Orai sem cessar: “Preparas uma mesa para mim…” (Sl 23,5)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.