Põe-se a caminho à sua frente… (Jo 10,1-10)

Jesus, o Bom Pastor, marcha à frente de seu rebanho. Agindo assim, ele nos mostra o caminho, anima e “puxa a fila”. O pastor antecipa as surpresas do caminho, antevê aos riscos e ameaças. Mas ele também se expõe, pois é o primeiro a ser visto pela alcateia dos lobos famintos.

Pastor sofre! Basta ler a história de Moisés, chamado por Yahweh para liderar o povo hebreu na libertação do Egito… Sempre que as coisas iam mal, era sobre o indefeso Moisés que o povo “de dura cerviz” descarregava seu mau humor. Até mesmo dentro de sua família o líder viria a encontrar oposições e falatório.

Houve um momento crítico (cf. Ex 32), quando o próprio Senhor parecia disposto a abrir mão daquele povo, a ponto de dizer a Moisés: “Desce, pois o teu povo se perverteu, este povo que tu fizeste subir da terra do Egito.” Como se a iniciativa do Êxodo tivesse sido do pobre Moisés…

Mas o generoso Moisés se mostra solidário com o povo pecador, retrucando: “Por que, Senhor, tua cólera quer se inflamar contra o teu povo, que tu fizeste sair da terra do Egito?” Vale dizer: “O povo é teu! Cuida dele!” E rejeitou um tratamento especial da parte do Senhor, que excluísse a massa do povo.

Como fazem falta pastores dessa estatura! Dirigentes dispostos a sofrer com seu povo. Líderes religiosos que partilhem no dia a dia as dores do rebanho. Pais e educadores que façam dos filhos e educandos a sua prioridade, sem pensar nos próprios comodismos e preferências… Em geral, os “líderes” estão dispostos a ser companheiros de estrada, ao lado de seu pequeno povo. Só que o rebanho quer pastores à sua frente. Não simples coleguinhas, mas pais e mães…

Por outro lado, os rebanhos não mudaram nada: os pais sofrem com a rebeldia dos filhos, os bispos sofrem com a desobediência dos padres, o Papa sofre com a teimosia dos bispos…

Nada, no entanto, que Jesus Cristo não tenha sofrido com a multidão, com os fariseus, com os sacerdotes do Tempo, com Judas e com Pedro.

Favor abrir uma exceção para Maria de Nazaré, a Mãe de Deus, obediente, amorosa e fiel… Talvez por isso mesmo, ela continue caminhando à frente da Igreja, após mais de 2000 anos de história!

Orai sem cessar: “O Senhor nos fez, e a ele pertencemos.

Somos o seu povo e ovelhas de seu rebanho.” (Sl 100,3)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.