Palavra do Provincial

Vivendo a espiritualidade da Semana Santa

Querido internauta, tudo bem?

É com alegria que chego até você, com mais uma proposta de  reflexão.

Celebramos neste mês, a semana santa, ponto alto do nosso calendário litúrgico, com destaque para o Tríduo Pascal. A espiritualidade que vivemos durante este período, é um convite a contemplar a paixão, morte e ressurreição de Jesus. Ao celebrarmos a liturgia da semana santa, estamos recordando os últimos acontecimentos da vida de Jesus entre nós, refletindo, especialmente, sua sublime entrega pela nossa salvação. A ressurreição de Jesus, celebrada no domingo de páscoa é, portanto, ponto culminante desta semana.  O apóstolo Paulo ao escrever à comunidade de Corinto é categórico: “Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação e vã a nossa fé…”. Assim sendo, podemos afirmar que, o anúncio da ressurreição é o coração da mensagem evangélica que sustenta nossa vida em comunidade.

A fé cristã nos assegura de que o fim último não é a morte, mas sim a comunhão definitiva com o Pai.  Como cristãos, devemos viver na certeza deste encontro com o Senhor da vida. Creio que nisto se fundamenta a existência cristã. Viver este tempo litúrgico é renovar este espírito de comunhão com Deus e com os nossos irmãos. O exemplo de Jesus, deve nos direcionar para uma vida fraterna, onde as nossas relações possam ser marcadas pela entrega total, assim como fez Jesus.

Acolher a proposta de espiritualidade desta semana é renovar o nosso compromisso de superar as provações que surgem da opção pela vida cristã. O sofrimento, experimentado por Jesus, faz parte desta busca da comunhão eterna, não podendo ser interpretado como um castigo ou punição, mas como um itinerário de redenção que nos leva ao Pai. Neste sentido, a semana santa tem uma dimensão pedagógica, Jesus ao enfrenta a dor, e todo sofrimento da paixão, nos ensina o caminho que conduz a vitória da vida sobre a morte. Precisamos enxergar além dos sofrimentos, além das nossas dores. A fé no ressuscitado deve expressar uma dimensão redentora da cruz. Sendo assim, a liturgia que celebramos , é um alimento que nos fortalece e nos identifica como discípulos do ressuscitado. Portanto, meus irmãos, a ressurreição de Jesus é a base de nossa fé, sustenta a nossa caminhada em comunidade, e nos alimenta na esperança com Deus.

Desejo a você que celebra a fé cristã, uma semana de aprofundamento e amadurecimento espiritual. Que a celebração deste mistério em sua comunidade, seja de fato uma profunda experiência de fé no ressuscitado. Que Maria, a Senhora das Dores, interceda sempre na vida de sua família, em seus trabalhos em comunidade, mas acima de tudo, nos momentos difíceis, onde a fé possa ser abalada. Que você se sinta acolhido e amparado por este amor da Mãe que nunca abandona filhos.

Pe. Edvaldo, MSC.

Veja mais…

Quaresma tempo de voltar para Deus

Querido internauta, é com grande alegria que chego até você para dar continuidade às reflexões mensais em nosso portal. Neste primeiro contato gostaria de chamar sua atenção para o tempo litúrgico em que estamos vivendo na Igreja, o tempo da Quaresma.  Esta  palavra Quaresma vem do latim quadragésima e é utilizada para designar o período de quarenta dias que antecede a festa ápice do cristianismo: a pascoa, a ressurreição de Jesus Cristo.  A quaresma nos convida a tomar consciência do que significa ser discípulo de Jesus e nos prepara para esta grande celebração cristã. O tempo quaresmal nos ajuda e nos estimula na vivência de um intenso compromisso espiritual. A Igreja recomenda neste período, os exercícios das práticas espirituais, “a esmola, o jejum e a oração”, não como uma mera repetição, algo rotineiro, que acontece todos os anos, mas como um caminho de conversão. É um tempo de “voltar para Deus” como diz o profeta Joel na liturgia da quarta feira de cinzas: “voltai para mim de todo coração” (Joel. 2,13). Voltar para Deus de todo coração significa estar totalmente aberto à conversão, disposto a experimentar a misericórdia do senhor através do sacramento da reconciliação. São Paulo deixa isto muito claro na carta aos coríntios quando diz: “deixais-vos reconciliar com o Senhor” (2cor. 2,5). O pecado é um estado de desacordo entre Deus e o homem, Portanto, se faz necessário restabelecer a harmonia, recriar o vinculo com o Criador. Neste sentido, a proposta quaresmal é de superação das nossas misérias, um retorno à vivência sacramental como caminho para se chegar a Deus. Assim sendo, desejo a você que nos... ler mais

Há um tempo para tudo debaixo do céu, tempo de plantar e de colher. (Ecle.3,1-2)

Caro internauta, Imagino que você, na Escola, deve ter ouvido falar de Carlos Drummond de Andrade.  Mineiro de Itabira, de Mato Adentro, estudou com jesuítas. Morreu em 1987. Sobre o tempo, ele tem um belo poema que no final do ano faz um sucesso, diz assim: “Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí, entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número, e outra vontade de acreditar que daqui para diante vai ser diferente”(A ideia genial de fatiar o tempo. Carlos Drummond de Andrade). Estamos chegando ao final de mais um ano. É tempo de agradecer a Deus pela Sua presença em nossa vida. Sabemos que foi um ano difícil para o povo brasileiro, com problemas políticos e econômicos, com desemprego e violência, com sofrimentos e alegrias. Mas, em todos os momentos, para nós que temos fé, certamente, pudemos sentir a presença amorosa de Deus nos conduzindo. Estamos chegando perto do Natal, convido a você para que se prepare bem para o encontro com Jesus, a Palavra de Deus, que veio habitar entre nós. Prepare-se através das celebrações dominicais do advento e, se possível, através do sacramento da Confissão.  É tempo de esperança e de renovação da vida. É com este espírito que desejo a você um santo Natal e feliz ano novo repleto das bênçãos e graças de Deus. Caro internauta, encerrando o ano, eu também... ler mais

Os Missionários do Sagrado Coração, a oração pelos vivos e falecidos e a busca de santidade

Caro internauta, Iniciamos o mês de novembro com a Festa de Todos os Santos e o Dia de Finados. A busca pela santidade deve ser a grande luta diária de cada cristão. Ser santo não é ser perfeito, mas é ser, a partir dos dons que Deus nos deu, o melhor possível. Buscar ser aquilo que Deus nos fez para sermos. E Deus nos fez para sermos santos. A santidade está bastante ligada com a vocação que temos. Se vivermos bem nossa vocação, estaremos mais perto da santidade que vem de Deus. Neste mês somos chamados também a rezar pelos falecidos. Quando rezamos, manifestamos nossa confiança num Deus que tem misericórdia com seus filhos. Os Missionários do Sagrado Coração trazem como missão levar ao mundo o amor de Deus revelado no Coração de Jesus. Quando pensamos no Coração de Jesus, pensamos em Sua misericórdia pelos pecadores, pelos pobres e pelos que sofrem. Pensamos também na misericórdia de Deus principalmente na hora de nossa morte e depois dela. Crer num Deus que perdoa e ama é fundamental para a nossa saúde espiritual. Muitas pessoas sofrem por não acreditar na misericórdia de Deus, por não se sentirem amadas e perdoadas pelo Coração de Jesus. Diante disso, é missão dos Missionários do Sagrado Coração instruir sobre a verdadeira espiritualidade que nasce do Coração de Jesus, que acolhe todas as pessoas que buscam a salvação. No Coração de Jesus está a revelação do coração amoroso de Deus. Quem olha para o Coração de Jesus conhece o coração de Deus, isto é, quem conhece Jesus, seus ensinamentos, seus gestos, sua forma de dar a... ler mais

Mês dedicado à missão: Você já descobriu a sua? Seja um internauta missionário do Evangelho…

Caro Internauta, No mês de outubro, a Igreja reflete sobre a missão e quer lembrar a todos que ela é essencialmente missionária e a missão, sua parte integral. Foi graças à missão de outras pessoas que nós recebemos o presente da fé cristã. Por isso, cada cristão deve ser evangelizador do povo de Deus. Às vezes nós pensamos que vivemos num país cristão católico e que todas as pessoas já foram evangelizadas. A realidade nos mostra o contrário. Muita gente, inclusive pessoas que participam das missas, ainda não assumiram o Evangelho como parte fundante de sua vida. Muitos não conhecem a beleza e os fundamentos de nossa Igreja e por isso acabam até mudando de religião. Outros, ainda, não foram tocados pela mensagem cristã e só o serão pelo testemunho e a pregação de nossos leigo (a)s comprometido(a)s. Quantas pessoas ainda não aprenderam a rezar e gostariam muito que alguém as ensinasse. No mês de setembro, passado, estive em Moçambique e percebi que a maioria do povo moçambicano nunca ouviu falar de Jesus Cristo. Temos muita missão pela frente. Toda pessoa humana tem necessidade de Deus e da mensagem cristã. A mensagem cristã deve ser um presente para a vida das pessoas. Todo batizado deve pregar o Evangelho em qualquer tempo e lugar. A mensagem cristã traz sempre esperança e alegria às pessoas. Vale a pena evangelizar, vale a pena ser evangelizado. O Evangelho nos orienta para a justiça e solidariedade; cria laços de amizade e de amor; ensina-nos  a perdoar e nos ajuda a crescer como pessoa humana e de fé. Por isso, a Palavra de Deus é... ler mais

Passos comuns de uma vocação

Caro internauta, estamos no mês de agosto, denominado, na Igreja  mês vocacional. Quero partilhar com você os passos comuns de uma vocação. Inicialmente, o sentido da palavra ”vocação”.  A palavra “vocação” vem do latim – vocatio, vocare > vocal  > voz . É como voz interior. A mais profunda das vozes. Aquela que só o vocacionado pode escutar. É uma única voz para cada pessoa. Nesta voz está a vontade de Deus para cada vocacionado. Deus te chama e você pode responder com generosidade a esse chamado de Deus.  Para escutar essa voz é fundamental fazer silêncio. Ouvir a si mesmo. Ouvir o que Deus te fala. O primeiro passo é “sentir-se chamado” – o chamado se expressa na realidade pessoal, social ou familiar de cada pessoa. O relacionamento do vocacionado consigo mesmo, com a família e com o mundo leva-o a compreender o chamado. O chamado é sempre para responder a uma necessidade do mundo. O segundo passo é a escuta – ao sentir-se chamado, o vocacionado começa a escutar a Deus. Ouvir as suas promessas. Esta escuta nasce, normalmente, do contato com a Palavra de Deus, da necessidade de servir a comunidade, os pobres, os enfermos, os necessitados. O terceiro passo é a dúvida, o medo, o susto: Será que é isto mesmo que Deus quer de mim? Por que não chama outro? Será que eu tenho condição de ser fiel? E os meus projetos? E os meus familiares, o que vão pensar de mim?… O quarto passo são as desculpas: É melhor eu não me preocupar com isso. Está boa a vida do jeito que está.... ler mais

Caro internauta,

Quero partilhar três pensamentos com você. 1)      Jesus é o coração misericordioso do Pai.  Com essa frase estou parafraseando o pensamento do Papa Francisco, que diz que Jesus é o rosto misericordioso do Pai. Nós só conhecemos Deus no jeito de ser de Jesus. Ele disse, um dia, “Eu e o Pai somos um”. Assim os gestos e palavras de Jesus são o modelo e a indicação de quem é o Pai. Como Deus pensa e age. A atitude de misericórdia de Jesus é o jeito de ser de Deus. 2)      Deus é generoso. Esse é para mim, junto com a misericórdia, um dos atributos mais bonitos de Deus. A generosidade. Ela se expressa no jeito de ser de Jesus. Quando Jesus realiza algum milagre, Ele dá sempre mais do que se pede. Quando Lhe pedem a cura, Ele acrescenta o perdão, quando Lhe pedem pão, Ele multiplica, e sobram doze sextos cheios. Assim Deus é conosco. Apenar de nossa pequenez, pecados e limitações, Deus conta conosco e nos dá graças de sobra para realizarmos a nossa missão. Não somos dignos, mas Ele nos quer como servidores do Evangelho. Basta olhar nossa vida e perceber o quanto Deus tem sido generoso para com você. Leia a sua vida a partir das ações de Deus. 3)      Deus é o centro e eu sou periferia. Deus deve ser o centro de nossa vida e não nossa vida o centro do mundo. Vivemos num tempo de muito egocentrismo. Achamos que somos o centro do mundo. Ficamos viciados em acharmos que tudo deve girar em torno de nós mesmos. O Padre acha que... ler mais

Devoção e espiritualidade do Sagrado Coração:

Caros irmãos, internautas estamos em junho, mês dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. Nós conhecemos e acreditamos no amor de Deus por nós. Deus é amor, e quem permanece no amor, vive em Deus e Deus nele. (1 Jo. 4, 16) A partir do amor, podemos entender a devoção e espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus. E a nossa vida. No Sagrado Coração de Jesus, nós encontramos e fazemos a experiência do “exagero” do amor de Deus por nós. Ele para nos salvar, de coração aberto, envia seu filho Jesus, que foi capaz de deixar rasgar seu coração para que conhecêssemos o profundo do amor do Pai. No coração transpassado, conhecemos o coração de Jesus por dentro. E no coração de Jesus, conhecemos o coração do Pai. Diante desta imensidão de amor, o meu amor e minha doação não são nada, a não ser, resposta ao amor extremado de Deus por mim e por nós. O Papa Francisco falar que Jesus é o rosto misericordioso do Pai. Nós podemos parafraseá-lo e dizermos que Jesus é o Coração misericordioso do Pai. Estamos na escola do amor: Diz Erich Fromm, “O amor não é apenas um sentimento ou algo voltado a uma pessoa; o amor é uma orientação de caráter, que determina a relação de alguém para com o mundo como um todo, e não para com um objeto de amor. Se alguém ama apenas uma pessoa, e é indiferente ao resto de seus semelhantes, seu amor não é amor, mas uma troca de afeto, ou um egoísmo ampliado”. Estamos sempre na escola do amor. Sei que não é fácil amar,... ler mais

Nossa Senhora do Sagrado Coração

É com alegria que, em nome da comunidade MSC, convido você para participar da Festa de Nossa Senhora do Sagrado Coração, em Vila Formosa, São Paulo, SP. A festa será realizada no dia 29 de maio e a novena começará no dia 21. Você poderá iniciar a novena em sua casa e concluí-la no Santuário junto com outros romeiros e devotos presentes. É sempre uma belíssima festa, com a presença de romeiros de diversos estados e cidades. (veja a programação completa abaixo) Qual o significado do título de Nossa Senhora do Sagrado Coração? O título é fruto de dois anos de oração e reflexão do Pe. Júlio Chevalier, fundador dos Missionários do Sagrado Coração. É importante entendermos que no centro desta devoção está o Coração de Jesus. A imagem de Maria, que reflete aos nossos olhos e ao nosso coração é a de Nossa Senhora do Sagrado Coração de Jesus. Assim, acreditamos que todas as graças de Deus vêm do Coração de seu Filho, e Maria está intimamente ligada a esse Coração. Por isso podemos recorrer com confiança a ela como mãe. A própria imagem de NSSC é uma verdadeira catequese para o fiel que contempla Maria a apontar o Coração de Jesus e a dizer que Ele é o centro de nossa fé; e Jesus mostrando o coração de sua mãe, como a significar: quem quiser chegar ao coração d’Ele deve passar pelo coração da Mãe. Nós, Missionários do Sagrado Coração, temos um grande carinho por este título mariano, pois sentimos que faz parte da essência de nossa vocação. Ela acompanha a origem de nossa comunidade religiosa. Dizia... ler mais

A ressurreição, São Tomé e as feridas

Caro internauta, a figura de Tomé, apresentada pelos evangelhos, é de um homem que não tem fé ou daquele que está sempre se questionando sobre o sentido da vida. É de admirar ou chamar a atenção, alguém que tendo caminhado com Jesus, convivido lado a lado com ele, partilhado os mesmo ideais e sonhos, tenha uma atitude tão profunda de falta de fé. Para mim, Tomé é apenas um sinal exemplar para o evangelho. Uma manifestação teológica. E sua atitude não é de nenhuma forma vazia ou sem espiritualidade. Tomé é sinal daquele que quer conhecer, aprofundar, tocar a realidade, descobrir sentidos e sinais que indicam algo mais profundo da existência humana e quem sabe da existência divina de Jesus. Pergunta Tomé: “Senhor, não sabemos para onde vais, como podemos saber o caminho? Nesta pergunta, Tomé mostra que não tem medo ou preguiça de caminhar, apenas está sem direção. O Senhor responde que Ele é a direção e que Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida. O modelo de espiritualidade refletido por Tomé, não é um modelo de superficialidade, de fantasia, mas de uma espiritualidade “pé no chão” e real. Ele toca a realidade das chagas e feridas da realidade de Jesus. Creio que a nossa espiritualidade seria melhor, se tocássemos as chagas da humanidade e a partir delas chegássemos com cristo a Ressurreição. A psicologia ensina que se não deixamos a “dor doer”, isto é, se não tocamos o dedo em nossas feridas não seremos curados. Muitas vezes ficamos com as feridas abertas, não tocamos e não deixamos outros tocarem e assim nunca somos curados. A... ler mais