Ou devemos esperar por outro? (Lc 7,19-23)

Foram séculos de espera. O Senhor Yahweh prometera enviar o seu Ungido, que nos libertaria e nossos grilhões e mostraria o caminho para o Pai. Nos sonhos dos patriarcas e nos oráculos dos profetas, a figura do Messias Salvador se repetira ao longo de tantas gerações!

Como seria ele? Talvez como o arco-íris no céu azul de Noé… Talvez como o Isaac obediente que se abandonara a Abraão… Talvez como José, vendido pelos irmãos… Talvez o “filho do homem” entrevisto por Daniel… Talvez o “anjo da aliança” prometido por Malaquias… Certamente o Servo sofredor de Isaías…

Agora, os tempos estão maduros. O Batizador garantiu que o Messias estava ao alcance de todos. O reino de Deus estava próximo. E é ele-mesmo, o Batista, quem envia seus discípulos, pedagogicamente, com aquela pergunta reveladora: “És tu mesmo o que devia vir? Ou devemos esperar por outro?”

Como é atual esta pergunta! Jesus já veio, morreu por nós e ressuscitou. Em sua vida pública, cumpriu os “sinais” anunciados pela Primeira Aliança. Ligou de novo o céu e a terra, como o arco-íris após o dilúvio universal. Deixou-se atar para o sacrifício, como Isaac. Foi vendido pelos homens, cuja carne assumira. E durante sua vida pública, curou os enfermos, libertou os possessos, limpou os leprosos, abriu o ouvido aos surdos e devolveu a visão aos cegos.

Ainda assim, há quem espere por outro… Esperam por outros sinais, por novos profetas, pelo Maitreya da Nova Era e pelo primeiro anticristo de plantão. Consideram Cristo ultrapassado, um anti-herói fracassado, incapaz de lhes dar a esperada “salvação”. Esperam por um líder vitorioso, que a todos conceda o Reino deste mundo, o reino de César, de preferência em moeda sonante ou sob a forma de prazeres sem dores, progresso sem esforço, paz sem cruz, com o máximo de conforto e comodidade…

E nós? Ainda esperamos por outro salvador? Ou nos basta a Vítima do Calvário, que nos deu o sangue até a última gota, mostrando que o amor se sacrifica para que os amados tenham a Vida?

É Jesus quem nos faz a oferta registrada no Apocalipse: “A quem tem sede, eu darei gratuitamente a beber da fonte da água viva.” (Ap 21,6b.)

A quem seguiremos?

Orai sem cessar: “Achamos o Messias!” (Jo 1,41)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.