No meio de vós… (Jo 1,19-28)

Os fariseus interrogam a João Batista. Buscam entender o mistério oculto na pessoa daquele profeta vestido de couro e companheiro das feras do deserto. Que força era essa que atraía ao Jordão multidões de penitentes? Messias? Elias? Profeta? E João nega. Remete-os à profecia de Isaías e diz ser apenas a “voz que clama no deserto” dos homens, aquela massa que se faz de surda diante dos apelos do Senhor.

Os fariseus querem conhecer melhor a João Batista, mas não conhecem Aquele que pode salvar a todos: o Cristo Senhor. Não é sem uma fina ponta de ironia que João adverte: “No meio de vós está Aquele que não conheceis..” É como se dissesse: querem conhecer aquele que vale pouco, e permanece desconhecido de vocês o Único que vale a pena conhecer…

Nós somos esses fariseus. Erramos igual. Gastamos a vida a conhecer os segredos da matéria, dominar os elementos, investigar as leis do Universo, e não prestamos atenção ao íntimo de nosso coração, que tem sede do amor de Deus.

O único amor que pode dar sentido a nossas vidas… Gastamos os dias e atravessamos as noites a ler os filósofos, esquadrinhar as teses dos sociólogos e pesquisar as profecias dos economistas, mas não temos tempo de conhecer a Palavra de Deus. Como os fariseus de Jerusalém, nós nos pretendemos sábios, especialistas, acumulamos grossos volumes na estante, mas o coração permanece vazio do conhecimento do Senhor.

Jesus iria exclamar, em oração: “Eu te dou graças, Pai, porque ocultaste estas coisas aos sábios e prudentes, e as revelaste aos pequeninos.” (Mt 11, 25) E nós insistimos em dar a nossos filhos o conhecimento do mundo, mas não nos preocupamos em lhes apresentar a sabedoria do Senhor.

Os santos não são assim. Os santos descobrem a estrada estreita, a “pequena via” de Teresinha de Lisieux. Menina sabida, ela descobre que Deus é Pai, cheio de amor. Por isso mesmo, basta ser a sua criança. Daí em diante, já não precisa fazer força para galgar os degraus da escadaria, pois há um elevador a sua disposição…

Em cada missa, unidos à assembleia que celebra, nós respondemos em coro: “Ele está no meio de nós!” E quem é Ele? Que sabemos sobre Ele? Que significa Ele em nossas vidas?

Orai sem cessar: “Na minha noite, Senhor, me fazes conhecer a sabedoria!” (Sl 51,8)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança