DIA 27 DE NOVEMBRO – QUINTA-FEIRA

Evangelho (Lucas 21,20-28)

Naquele tempo, 21 20 disse Jesus aos seus discípulos: “Quando virdes que Jerusalém foi sitiada por exércitos, então sabereis que está próxima a sua ruína.
21 Os que então se acharem na Judéia fujam para os montes; os que estiverem dentro da cidade retirem-se; os que estiverem nos campos não entrem na cidade.
22 Porque estes serão dias de castigo, para que se cumpra tudo o que está escrito.
23 Ai das mulheres que, naqueles dias, estiverem grávidas ou amamentando, pois haverá grande angústia na terra e grande ira contra o povo.
24 Cairão ao fio de espada e serão levados cativos para todas as nações, e Jerusalém será pisada pelos pagãos, até se completarem os tempos das nações pagãs.
25 Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra a aflição e a angústia apoderar-se-ão das nações pelo bramido do mar e das ondas.
26 Os homens definharão de medo, na expectativa dos males que devem sobrevir a toda a terra. As próprias forças dos céus serão abaladas.
27 Então verão o Filho do Homem vir sobre uma nuvem com grande glória e majestade.
28 Quando começarem a acontecer estas coisas, reanimai-vos e levantai as vossas cabeças; porque se aproxima a vossa libertação”.

Palavra da Salvação.

Meditando a Palavra

Hão de ver o Filho do Homem! (Lc 21,20-28)

Na última semana do Ano Litúrgico, a Igreja orienta nosso olhar para o “fim dos tempos”. Chama nossa atenção para o grande “Dia do Senhor”. Em outros termos, recorda-nos o JUIZO FINAL.

Sobre a nuvem, com poder e glória, vem o Senhor Jesus. E assim se completa o movimento de glorificação do Cristo, o Ungido de Deus, sinalizado na Transfiguração, iniciado em sua Ressurreição, acrescido na Ascensão ao Pai e, agora, levado a seu ponto culminante, para julgar os vivos e dos mortos.

No momento da sua Ascensão, uma “nuvem” ocultara Jesus das vistas dos discípulos admirados. (At 1, 9.) Agora, no grande dia do Juízo, é sobre a mesma nuvem que Cristo vem: “Este Jesus, que vos foi arrebatado para o céu, há de vir do mesmo modo como o vistes partir.” (At 1, 11.) Tal como no primeiro Êxodo, a nuvem que oculta é a mesma nuvem que revela…

Que nos ensina o “Catecismo da Igreja Católica” a respeito do Juízo Final? “A ressurreição de todos os mortos, ‘dos justos e dos injustos’ (At 24, 15), antecederá o Juízo Final. […] Então Cristo ‘virá em sua glória, e todos os anjos com Ele. E serão reunidas em sua presença todas as nações, e Ele há de separar os homens uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos… E irão estes para o castigo eterno, e os justos irão para a Vida Eterna.” (Mt 25, 31-33.46.) (Catecismo, 1038.)

E mais: “É diante de Cristo – que é a Verdade – que será definitivamente desvendada a verdade sobre a relação de cada homem com Deus. O Juízo Final há de revelar até as últimas consequências o que um tiver feito de bem ou deixado de fazer durante sua vida terrestre.” (Idem, 1039.)

Quando será? “O Juízo Final acontecerá por ocasião da volta gloriosa de Cristo. Só o Pai conhece a hora e o dia desse Juízo, só Ele decide de seu advento. Por meio de seu Filho, Jesus Cristo, Ele pronunciará então sua palavra definitiva sobre toda a história. Conheceremos então o sentido último de toda a obra da criação e de toda a economia da salvação, e compreenderemos os caminhos admiráveis pelos quais sua providência terá conduzido tudo para seu fim último. O Juízo

Final revelará que a justiça de Deus triunfa de todas as injustiças cometidas por suas criaturas e que seu amor é mais forte que a morte.” (Idem, 1040.)

E todos verão o Filho do Homem…

Orai sem cessar: “O Senhor julgará o mundo com justiça.” (Sl 96, 13)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.