DIA 13 DE NOVEMBRO – QUINTA-FEIRA

Evangelho (Lucas 17,20-25)

Naquele tempo, 17 20 os fariseus perguntaram um dia a Jesus quando viria o Reino de Deus. Respondeu-lhes: “O Reino de Deus não virá de um modo ostensivo”.
21 Nem se dirá: “Ei-lo aqui; ou: Ei-lo ali. Pois o Reino de Deus já está no meio de vós”.
22 Mais tarde ele explicou aos discípulos: “Virão dias em que desejareis ver um só dia o Filho do Homem, e não o vereis.
23 Então vos dirão: ‘Ei-lo aqui; e: Ei-lo ali’. Não deveis sair nem os seguir.
24 Pois como o relâmpago, reluzindo numa extremidade do céu, brilha até a outra, assim será com o Filho do Homem no seu dia.
25 É necessário, porém, que primeiro ele sofra muito e seja rejeitado por esta geração”.

Palavra da Salvação.

Meditando a Palavra

Não vem ostensivamente… (Lc 17,20-25)

Jesus está respondendo a uma pergunta dos fariseus a respeito da irrupção do Reino de Deus. Ele é uma realidade interior. Certamente não estará nas manchetes nem nos outdoors. O Reino é diferente do império do mal, que merece letras garrafais na primeira página.

Quer descobrir o Reino de Deus? Procure-o nas páginas internas, em letrinhas miúdas. Sabe, aquela notícia sobre a mulher do pequeno comerciante que esconde dois quilos de feijão numa sacola e leva para a viúva do bairro? Eis o Reino de Deus! Ou sobre aquela professora negra e idosa de Volta Redonda, já aposentada, que viu a molecada na praça e achou um jeito de abrir a capelinha abandonada para ali alfabetizar os pivetes? E ainda aqueles professores do colégio de ricos, em Belo Horizonte, que voltam à noite para lecionar gratuitamente aos alunos bolsistas da instituição?

Como? Não achou estas notícias? Claro que não vai achar: o Reino de Deus não é ostensivo, não faz propaganda, não solta foguetes. E como ele é subterrâneo, você deve ter pensado que o Reino não existia. Pois se enganou…

Só excepcionalmente um servo de Deus recebe os holofotes do Prêmio Nobel, como Madre Teresa de Calcutá recebeu. E ela afirmou que ali estava em nome dos pobres do mundo inteiro. O dinheiro do prêmio virou arroz para os famintos. O carro que transportou o Papa na Índia e, a seguir, foi dado para ela, também foi vendido e trocado em remédios. Em novembro de 1964, Paulo VI doou a tiara papal para ser transformada em recursos para os pobres, na véspera de sua viagem a Bombaim.

Não deu notícia? É claro que não. Vamos, pois, parar com nossas lamentações do tipo “o mundo vai mal”, “a juventude está perdida”, pois elas brotam de nosso olhar envenenado pela TV. Vamos abrir os olhos e olhar em volta. Há milhares de jovens que deixaram casa e família, escola e trabalho, para se dedicarem aos órfãos, aos velhinhos do asilo, aos drogados da Praça da Sé.

Abra os olhos e comece a perceber o Reino vivo e pulsante: professores que não abandonaram sua missão, enfermeiras suando sangue em unidades de saúde abandonadas pelo Governo, missionários passando fome com seu rebanho, crianças economizando selos e moedinhas para contribuir com esses missionários.

Vamos lá! Desligue a TV e abra a janela. Neste exato momento, o Reino pode estar passando na sua rua…

Orai sem cessar: “Venha o teu Reino!” (Mt 6,10)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.