Eu sou o caminho… (Jo 14,6-14)

Cantava o poeta espanhol: “Caminheiro, não há caminho. Caminho se faz ao andar…” É um belo poema de Antonio Machado, mas ele se engana ao apostar na autossuficiência dos andarilhos que somos nós, em breve périplo pelo planeta enfumaçado. Existe, sim, um Caminho. E ele nos é dado, grátis oferecido, pura graça…

Estamos falando de Jesus Cristo, a via direta para o Pai. E não temos capacidade de traçar por nós mesmos, com engenho e arte, o roteiro dessa viagem para o eterno. Desde Abraão, que deixou sua terra apoiado em mera promessa de Deus, passando por patriarcas e profetas, até os santos de nossos dias, só chega ao Pai aquele que aceita o Caminho que o Filho se tornou para a humanidade.

Não raro, alguém se queixa de que nosso Deus está distante, parece indiferente, permanece inatingível. Costumam ser pessoas que insistem em seguir um caminho pessoal, assumem vínculos incompatíveis com a Boa Nova, desgastam suas energias espirituais em empreitadas no mínimo discutíveis. O Caminho está bem ali, logo a seu lado, mas parecem ignorá-lo.

O que me chama a atenção em Jesus Cristo é que ele, sendo o Caminho para o Pai, deixa o próprio Pai em suas altitudes e se encaminha para nós, descendo em direção à carne dos mortais. O Caminho se encarna. Não é um caminho para anjos alados, para seres nefelibatas, de aérea natureza.

Sim, espantemo-nos! O Caminho se cansa ao caminhar pelas estradas da velha Palestina. O Caminho tem fome e sede. O Caminho sua e sangra. O Caminho entra em nossa humanidade, de modo que não precisamos galgar heroicamente o Olimpo dos gregos, pois temos o Caminho dentro de nós…

Um olhar atento há de perceber essa presença amiga nas dobras íntimas de nosso coração. Jesus nos habita. Cravou em nós a sua tenda. E só espera que nos voltemos para ele.

Hoje como ontem, o Caminho nos fala e repete o mesmo convite: “Segue-me!” Ora, é para isto que serve um Caminho: para ser seguido. Não precisamos inventar novos projetos, basta pisar nas pegadas do Caminho que vai à nossa frente. Aqueles pescadores que deixaram na praia as redes, a barca e… o pai, perceberam prontamente que um novo Caminho se abria à sua frente. Por isso é que o seguiram.

Chega de projetos pastorais! Chega de pesquisas sociológicas. Chega de marketing religioso! O Caminho é uma Pessoa: Jesus Cristo, o Filho de Deus! Religião é seguir por ele…

Orai sem cessar: “Ensina-me, Senhor, o teu Caminho!” (Sl 86,11)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.