Eu envio o meu mensageiro… (Lc 7,24-30)

Figura singular é João Batista, aquele que foi enviado à frente do Salvador, a voz profética que ressoou em Israel após quase 150 de silêncio dos céus. A ele coube o maior elogio do próprio Senhor: “Entre os nascidos de mulher, ninguém maior do que João”. (Lc 7,28)

Figura estranha é João Batista. Filho de uma velha estéril, anunciado por singular aparição angélica (cf. Lc 1,11ss), parece ter vivido no deserto desde a infância. A imagem que nos chega é a de um eremita em comunhão com a natureza, vivendo na mais extrema sobriedade. Veste o cinturão de couro típico dos antigos profetas (cf. 2Rs 1,8) e se alimenta de gafanhotos e mel silvestre.

Figura heroica é João Batista. A mesma voz que identifica o Cordeiro de Deus na pessoa de Jesus, também acusa os crimes do rei Herodes e assina a própria sentença de morte (cf. Mt 14,3ss). Em sua missão de aplanar os caminhos do Salvador, não hesita em galgar as escarpas do martírio.

Não admira que as multidões se reunissem às margens do Jordão, onde o Batizador convidava as almas a se banharem na graça de Deus, em um gesto penitencial de quem se dispunha a acolher o Reino já próximo na pessoa de Jesus de Nazaré.

Jesus elogia sua firmeza e determinação: João Batista não se dobra ao poder político como caniço vergado pelos ventos; não se corrompe na vida fácil dos palacianos vestidos de seda; sem ceder um palmo em sua missão, ele vai ao extremo de transferir seus próprios discípulos para Jesus (cf. Jo 1,35-37).

Este deve ser um modelo – tantas vezes esquecido! – para todo evangelizador: aquele que concentra a sua existência na tarefa de anunciar Jesus, apontar para Cristo como a vítima que nos reconcilia com o Pai. E, uma vez cumprida a missão, sai de cena e se apaga por completo. Sem fundo musical, sem trombetas nem purpurinas, sem mensagens adocicadas ao gosto da plateia, transmite de modo seco e direto a exclusiva palavra que ouviu para transmitir…

A sublime estatura de João Batista fez dele um dos santos mais admirados no Oriente cristão. Nas iconóstases das igrejas orientais, o ícone de João ocupa sempre um lugar de destaque ao lado da Bela Porta, juntamente com o Cristo Pantocrátor e a Mãe de Deus.

Singular, estranho, heroico e humilde, João Batista mostra o Caminho…

Orai sem cessar: “O que ouvi do Senhor eu vos anuncio!” (Is 21,10)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Com. Católica Nova Aliança.