20/06/2015

Em primeiro lugar o Reino de Deus! (Mt 6,24-34)

Tempos inquietos os nossos! Tensão, stress, ansiedade em uma vida toda orientada para ganhar o pão e as seguranças materiais. Com os olhos presos à cidade dos homens, ficamos cegos à cidade de Deus. Jesus quer orientar-nos em outra direção: viver serenos nas mãos do Pai do céu. Eis o comentário de Isaac, o Sírio:

“Nada a peça a Deus daquilo que ele mesmo deseja nos dar sem que o precisemos pedir. Ele o dá não somente a nós, seus fiéis, mas também aos que são estranhos ao seu conhecimento. ‘Não sejam, diz o Senhor, como os pagãos que tagarelam quando rezam. São os pagãos que procuram pelas coisas do corpo. Quanto a vós, não vos inquieteis com o que haveis de comer, nem com o que bebereis, nem com o que vos vestireis. Vosso Pai celeste sabe que tendes necessidade destas coisas’.

Já não é pão que o filho pede a seu pai, mas dele espera aquilo que há de maior e mais elevado em sua casa. Foi por causa da fraqueza da inteligência humana que o Senhor nos prescreveu pedir o pão quotidiano, mas tende em conta o que ele ordenou àqueles cujo conhecimento é perfeito e cuja alma é sã. ‘Não vos inquieteis – diz ele – com o alimento e as vestes.’ Se ele vela sobre os animais irracionais e sobre os pássaros, e sobre todos os seres que não têm alma, quanto mais ele há de velar sobre nós? ‘Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo.’

Se pediste algo a Des e ele tarda a atender, não te aflijas. Não és mais sábio que Deus. Ou isso te acontece por seres indigno de obter o que pedes, ou porque os caminhos de teu coração não vão no sentido de tua prece, mas em sentido oposto; ou porque ainda não chegaste ao ponto em que podes receber a graça solicitada.

Não devemos desejar antes do tempo aquilo que nos ultrapassa, a fim de não tornar inútil a graça de Deus, recebendo-a depressa demais.

Tudo que é recebido com facilidade pode ser perdido rapidamente. Mas tudo se guarda com atenção se é obtido quando o coração está sofrendo.

Tem sede de Cristo, a fim de que ele te embriague com seu amor. Fecha teus olhos diante das delícias desta vida, para que Deus faça reinar sua paz em teu coração. Abstém-te das coisas que teus olhos veem, a fim de ser digno da alegria espiritual. Se tuas obras não agradam a Deus, não lhe peças para ver as coisas de sua glória, para não seres como alguém que tenta a Deus.

Ama a humildade em todas as tuas obras, a fim de seres libertado das armadilhas ocultas que sempre são encontradas ao sair do caminho dos humildes.”

Orai sem cessar: “Ensina-me, Senhor, o teu caminho!” (Sl 27,11)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.