FRANCISCODiferentes momentos marcaram a visita pastoral do papa Francisco à Turquia, que teve agenda intensa nos três dias da peregrinação. O caráter ecumênico e inter-religioso foi intensificado nos gestos do papa com as comunidades locais.

No domingo, 30, na sede do Patriarcado de Constantinopla, o papa participou da Oração de vésperas da festa de Santo André. Na ocasião, agradeceu ao patriarca Bartolomeu pela acolhida. “Que grande graça, Santidade, poder ser irmãos na esperança do Senhor Ressuscitado! Que grande graça – e que grande responsabilidade – poder caminhar juntos nesta esperança, sustentados pela intercessão dos Santos irmãos Apóstolos André e Pedro!”.

O papa Francisco também participou de missa privada na Representação Pontifícia de Istambul. Encontrou-se com o Grão-Rabino da Turquia, Isak Haleva, responsável pela segunda maior comunidade judaica em um país de maioria muçulmana, após o Irã.

Acordo de paz

Antes de retornar a Roma, o papa reuniu-se com cem jovens refugiados assistidos pelos salesianos, na catedral do Espírito Santo, em Istambul. “Queridos jovens, não desanimeis! Com a ajuda de Deus, continuai a esperar num futuro melhor, apesar das dificuldades e obstáculos que estais a enfrentar agora”, disse Francisco.

O momento esperado da viagem foi o encontro do papa com o patriarca Bartolomeu. Eles assinaram uma “Declaração Conjunta”. No texto, as lideranças pediram “esforço possível para se construir uma cultura de paz e solidariedade entre as pessoas e entre os povos”.

Fonte: CNBB