Caíram em terra boa… (Mc 4,1-20)

Nas parábolas, Jesus sempre recorre a imagens e situações da vida do povo. É assim que ele nos fala da mulher que amassa o pão, o pescador que lança as redes, a lamparina de azeite que fumega, mas ainda tem vida… Hoje, o Rabi da Galileia mostra terras e sementes. Como ele mesmo interpreta (cf. Mc 4, 13ss), a semente é a Palavra de Deus. A terra (e existem vários tipos diferentes!) é o coração humano. Como é bonito, da parte de Deus, ver nosso coração como um terreno ao qual ele confia o precioso tesouro de sua Palavra, que ali deve germinar, crescer e frutificar.

Em geral, os pregadores gastam boa parte do tempo para falar dos terrenos estéreis, cobertos de abrolhos, que negam o fruto ao semeador. Um desperdício, em suma. Por isso mesmo, vamos contemplar a terra boa… Terra boa, fértil, generosa, é aquela que acolhe a semente e permite uma boa colheita: “dá frutos, trinta por um, sessenta por um, cem por um”… Nem precisamos recorrer ao exemplo de figuras conhecidas como Madre Teresa de Calcutá, Maximiliano Kolbe, Vicente de Paulo.

Terra boa é a mulher que gera os filhos e a eles se dedica de todo o coração. Mesmo com sacrifícios, cuida da casa e da cozinha, deixa as crianças arrumadinhas, bem alimentadas, ensina os pequenos a rezar, prepara as moças para o casamento. Terra boa é o homem que trabalha sério e não deixa faltar o necessário à família. Sem usar o cansaço como desculpa para se omitir, acompanha o estudo dos filhos, corrige suas atitudes, orienta e aconselha. Sabe que o exemplo fala mais forte do que sermões.

Terra boa é o filho que obedece aos pais e segue suas exortações. É a filha que ajuda a mãe em sua labuta e acaba agindo como mãe dos irmãos mais novos. Terra boa é o companheiro de trabalho que coopera com os novatos e lhes ensina as normas e os procedimentos da empresa. Em vez de acirrar a competição, estimula os outros a se destacaram, sem medo de ficar na sombra. Aceita trocar de turno, substituir um faltoso, e assume a tarefa mais penosa.

Terra boa é o sacerdote sempre pronto a atender os paroquianos, capaz de uma palavra de ânimo, um gesto de misericórdia, uma lágrima solidária. Todos sabem que podem contar com ele.

Um segredo: para listar estes exemplos de “terra boa”, só precisei lembrar meus pais, meus tios e meus mestres. Não sou feliz?

Orai sem cessar: “E nossa terra produzirá seu fruto…” (Sl 85,13)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.