Antes… eu te vi… (Jo 1,43-52)

O preconceito parecia vacinar Natanel e dificultar sua acolhida a Jesus: “De Nazaré, pode sair alguma coisa que preste?” Filipe não discutiu. Apenas desafiou: “Vem e vê!” Ele sabia que o encontro pessoal com Jesus derrubaria todas as barreiras…

Aqui, temos uma lição: é perda de tempo argumentar de maneira “lógica” com uma pessoa preconceituosa… ou ferida… ou encapsulada em seu saber acumulado dos livros… O truque é aproximá-la de Jesus e… deixar que Ele faça do seu jeito!

Mas Filipe não podia adivinhar que a adesão fosse tão rápida, diante de uma simples frase de Jesus a Natanael: – “Eu te vi antes, quando estavas debaixo da figueira…”

Ninguém sabe o que Jesus viu. Mas Natanael sabia de que se tratava. E bastou para emitir um ato de fé: “Tu é o Filho de Deus!” Eis o comentário de André Scrima sobre este encontro:

“Quando Filipe conduz Natanael a Jesus, Jesus é o primeiro a dirigir-se a ele: Deus se antecipa e toma a iniciativa, Ele nos ajuda a acolher o seu chamado. E como resultado desta iniciativa, o destino e toda a vida de Natanael foram alterados, praticamente como o que ocorreu com Pedro. Num primeiro lance, Jesus revel sua condição e sua realidade profunda: ‘Eis que chega um verdadeiro israelita, um homem sem artifício’.”

Jesus quer dizer que Natanael faz parte do “resto” dos israelitas que creram no Cristo e se tornaram o novo Israel. E quando Natanael pergunta a Jesus de onde o conhecia, é surpreendido com uma frase seca: “Antes que Filipe te chamasse, eu te vi quando estavas debaixo da figueira”. Natanael é fulminado pela revelação: este homem lê os corações. Lê o MEU coração! Nada fica escondido aos seus olhos.

É isto que chamamos de uma “experiência de Deus”. Ela simplesmente acontece, com a natureza de uma “graça”, um dom gratuito, não merecido, puro presente de Deus. Tal experiência contorna nossas defesas, anula nossos dialoguismos, lança por terra nossas defesas racionais. Diante dessa experiência, você já pode dizer: “Agora eu sei…”

E, não sem alguma ironia, Jesus deve ter sorrido ao afirmar: “Verás coisas maiores do que estas…”

Orai sem cessar: “Senhor, tu conheces todos os meus caminhos!” (Sl 139,3)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.