À luz do dia… (Lc 12,1-7)

Sim, entre outros atributos (pregador, mestre, terapeuta, consolador…) Jesus também era profeta. Este Evangelho parece o atual noticiário da TV, com os notáveis contrastes empregados por Jesus: oculto x revelado… escuridão x luz do dia… pé do ouvido x sobre os telhados…

Exatamente sobre os telhados está a floresta de antenas que transmitem e recebem, todos os dias, as notícias sobre as fraudes e sua revelação, a corrupção e a delação premiada, a propina por baixo da mesa e o retrato do empresário atrás das grades.

E o princípio eterno do Mestre de Nazaré: “não há nada oculto que não venha a ser revelado”. Nos anos 50, nas aulas de religião, aprendíamos o solene estatuto: “Deus me vê”. E a mensagem era reforçada pela imagem de um triângulo com o grande olho incluso: era o “olho de Deus”.

Pensando bem, fazia efeito. A criança sabia que era inútil qualquer tentativa de ocultar algum mal feito: mesmo que pais e mestres não o vissem, Deus estava vendo.

Será que temos aqui uma explicação para o mar de lama que escorre das empresas para os parlamentos? Terá sido a tentativa de criar um mundo sem Deus (e sem seus olhos onipresentes…) o novo caldo de cultura para a corrupção generalizada?

Talvez, pois quando um general (aconteceu no governo militar!) desvia o trigo integral da merenda escolar para revendê-lo, deixando as crianças com fome, não vejo outra explicação para essa conduta a não ser a total impiedade de um indivíduo sem Deus.

Nós cremos em um Juízo Final. O grande Dia do Senhor. O “Catecismo da Igreja Católica” [678] assim nos ensina: “Na linha dos profetas e de João Batista, Jesus anunciou em sua pregação o Juízo do Último Dia. Então, será revelada a conduta de cada um e o segredo dos corações. Será também condenada a incredulidade culpada que fez pouco caso da graça oferecida por Deus”.

Curiosamente, parece que a Polícia Federal e o Ministério Público andam antecipando as coisas e muitos delinquentes já não esperam pela Segunda Vinda para terem revelada a sua iniquidade. Tanto melhor!

Tudo isso deveria nos ensinar a pisar em brasas…

Orai sem cessar: “O olhar do Senhor vigia sobre quem o teme.” (Sl 33,18)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Com. Católica Nova Aliança.